Doí Ser Preterido

Por Eguinaldo Hélio de Souza

Você sabe o que é ser preterido? É o contrário de ser preferido. É quando ao invés de escolherem você, escolhem outro. Sabe aquele momento no qual há duas pessoas disputando um determinado prêmio e há uma grande expectativa. Inevitavelmente só um é escolhido e comemora vitorioso, sorrindo. O outro também sorri, mas dentro de seu coração há sempre uma dor, porque de algum modo foi preterido.

Em nossa vida seremos preteridos muitas vezes. E isso pode  desencadear em nós muitos sentimentos ruins, sentimentos presentes em nossa natureza decaída. Nem sempre aceitamos bem o fato de outro ser escolhido e nós não. Podemos nos tornar como o caçula que perde o lugar para o bebê novo que acaba de chegar. Ele se torna o centro das atenções e nós somos colocados na periferia.

Quando elogiamos alguém, isso produz nele um sentimento bom, ajuda-o a firmar-se. Entretanto, aquele que está ao seu lado, que não foi elogiado, pode sentir diminuído. São as contradições dessa geração de Adão.

Esse tipo de coisa acontece em nossa vida muitas vezes e nossas reações, quer externas quer internas, serão determinadas pela nossa maturidade, pelo nosso crescimento em Cristo. Não podemos permitir que um senso de inferioridade nos domine e nem que a inveja desponte em nosso coração. Temos que aprender a nos alegrar com a alegria e a vitória do outro, aceitando-o completamente, assim como queremos ser aceitos quando somos os escolhidos enquanto os outros os preteridos.

Também Jesus, Filho de Deus, experimentou na carne ser preterido. Portanto, estando eles reunidos, disse-lhes Pilatos: Qual quereis que vos solte? Barrabás ou Jesus, chamado Cristo? Qual desses dois quereis vós que eu solte? E eles disseram: Barrabás. Então, soltou-lhes Barrabás e, tendo mandado açoitar a Jesus, entregou-o para ser crucificado.(Mateus 27.17-26). Como descreveu o apóstolo Pedro sem seu sermão: Mas vós negastes o Santo e o Justo e pedistes que se vos desse um homem homicida. (Atos 3.14).

Se Jesus que era Jesus foi preterido no lugar de um pecador, porque você não aceita que outro seja escolhido em seu lugar? Por que se recente tanto por não ter sido escolhido ou por ter sido abertamente rejeitado? Que seja justo ou injusto, nosso coração precisa aprender que nem sempre seremos reconhecidos, nem sempre seremos valorizados, nem sempre preferidos por todos. Porém, com certeza, podemos nos alegrar porque ele nos escolheu e nos escolheu de forma definitiva, eterna, para sua glória.

Penso que a oração que George Verwer publicou em seu livro Vida em profundidade, fala um pouco desse assunto. É uma oração difícil de fazer, pois vai contra tudo o que somos, fazemos e pensamos. Ainda assim, ele nos ajuda a pensar um pouco do que é negar-se a si mesmo:

Ó Jesus, manso e humilde de coração, ouve-me.Livra-me, Jesus, do desejo de ser estimado, do desejo de ser amado, do desejo de ser exaltado, do desejo de ser honrado, do desejo de ser louvado, do desejo de ser preferido a outros, do desejo de ser consultado, do desejo de ser aprovado, do medo de ser humilhado, do medo de ser desprezado, do medo de ser repreendido, do medo de ser esquecido, do medo de ser ridicularizado, do medo de ser prejudicado, do medo de ser alvo de suspeitas. E, Jesus, concede-me a graça de desejar que outros possam ser mais amados que eu, que outros possam ser mais estimados que eu, que na opinião do mundo outros possam crescer e eu diminuir, que outros possam ser escolhido se eu posto de parte, que outros possam ser louvados e eu passe despercebido, que outros possam ser preferidos a mim em tudo, que outros possam tornar-se mais santos do que eu, contanto que eu me torne tão santo quanto devo ser.


 Você é um Dizimista Fiel

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Dizimar, isto é, consagrar dez por cento de suas rendas para a sua igreja  é muito mais do que contribuir financeiramente. As pessoas pagam imposto para o governo, doam valores para partidos políticos, colaboram com causas sociais. Todas essas coisas são boas e têm o seu devido valor. Todavia, ao dizimar, algo maior está em questão.

Dizimar é uma atitude de obediência. Deus ordenou que  você entregue ou devolva dez por cento de sua renda. Então você não questiona, nem apresenta argumentos explicando porque não fez. Você simplesmente obedece. Você não dizima porque tem dinheiro sobrando, porque não tem conta para pagar, porque não precisa de dinheiro. E sim porque Deus mandou fazê-lo.

Dizimar é uma atitude de amor. Seu coração é grato para com aquilo que o Senhor fez em sua vida. Você reconhece que ele tem cuidado de você. Esse cuidado se manifesta mesmo nas horas mais difíceis. Até mesmo quando existe dificuldades financeiras suas necessidades básicas estão todas supridas por Deus. E porque você ama, você tem prazer em colaborar com a obra de Deus.

Dizimar é uma demonstração de compromisso. Você faz parte do Reino de Deus e acredita que vale da pena investir nesse Reino. Vale a pena porque você vive nele agora e vai viver por toda a eternidade. E seu desejo é que ele cresça e possa incluir o maior número de pessoas possível. Você está incluído nessa Grande Causa chamada Reino de Deus.

E por fim, dizimar é uma questão de fé. Há promessas específicas de Deus nessa área (Malaquias 3.10). Abraão, nosso pai na fé, deu o dízimo de tudo sem ao menos ter a promessa (Gênesis 14.20). Ele, porém foi um homem que prosperou obedecendo a Deus. Com o passar do tempo, tudo o que Deus lhe prometera foi cumprido. Muitas pessoas ao longo da história têm acreditado nessa promessa e visto que Deus é fiel. Assim como muitos irmãos têm duvidado dessa promessa e perdido as grandes bênçãos que Deus tem para elas.

Seja você um dizimista fiel, porque o Deus que ordenou o dízimo para nossas vidas é um Deus Fiel.

 


 Diamantes de Deus

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Primeiro você é lapidado e só depois de pronto é colocado no encaixe. Você não compreende a dor da sua lapidação hoje, mas compreenderá tudo quando Deus o colocar no encaixe certo. Suporte agora. Vai valer à pena.

Lembre-se de José, vendido pelos irmãos, preso nas masmorras do Egito, esquecido pelos servos do Faraó, até que chegou o dia de sua libertação e ele pode ver o quanto valeu à pena permanecer em Deus. Deixou-se moldar por Deus em meio àquelas situações difíceis.

Lembre-se de Moisés, vivendo no deserto aqueles quarenta anos, até que foi chamado pelo próprio Deus para realizar a obra que estava preparada para ele.

Lembre-se de Davi que ungido para ser rei, foi por muito tempo um perseguido por Saul, escondendo-se nas cavernas e covas da terra. Por duas vezes teve chance de mudar sua história com suas próprias forças matando Saul e foi aconselhado por seus amigos que assim o fizesse. Entretanto, recusou-se, sabendo aguardar a hora de Deus e o modo de Deus.

E entre muitos outros podemos citar também João Batista, que permaneceu no deserto até o tempo de se apresentar a Israel (Lc 1.80). Ali naquele deserto, sem que ninguém soubesse, sem que ninguém visse, suportando situações que talvez nem ele compreendesse, ele crescia e se fortalecia. Quando a hora chegou, ele esta pronto.

Assim foi com os homens da Bíblia, assim foi com os homens de Deus através dos tempos. Assim tem sido conosco, simples servos que nem sempre compreendemos a dureza de nossos caminhos e os espinhos que nos ferem os pés. Olhamos para trás e reconhecemos que valeu a pena perseverar em meio à luta, pois Fiel tem sido Aquele que nos chamou.

Que Deus nos ensine a suportar o trabalho do Ourives em nossa vida, porque infinitamente mais do que nós, ele sabe do que precisamos.

Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que, a seu tempo, vos exalte, lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá. A Ele seja a glória e o poderio, para todo o sempre. Amém! (1 Pedro 5.6, 7,9-11)


 Dez Verdades Sobre Adoração

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Porque Deus é Espírito, e é preciso que seus adoradores o adorem em espírito e em verdade (João 4.24)

 

A adoração é para a vida cristã o que a corda é para o relógio.

 

Os homens só começam a crescer quando começam a adorar.

 

Não conheço outro prazer tão rico, tão puro, tão santificador em suas influências ou ainda tão constante em seus benefícios como aquele que resulta da verdadeira e espiritual adoração a Deus.

 

Toda a nossa vida deve ser dirigida de tal maneira para Deus que não importa o que nos atinja – tristeza ou alegria – seja imediatamente refletido para cima, para a Sua presença.

 

Adorar a Deus é compreender o propósito com o qual Ele nos criou.

 

A adoração é o reconhecimento da criatura acerca da grandeza do seu criador.

 

Adoração é dar ao Senhor a glória que Lhe é devida como resposta ao que Ele nos revelou e fez em Seu Filho Jesus Cristo.

 

Adoração é a contemplação extasiada de Deus, da forma como Ele se revelou em Cristo e em Sua Palavra.

 

A adoração não faz parte da vida cristã; ela é a própria vida cristã.

 

A adoração é a submissão de toda nossa natureza a Deus. É a vivificação da consciência mediante Sua santidade, o nutrir da mente com Sua verdade, a purificação da imaginação por Sua beleza, o abrir do coração ao Seu amor e a entrega da vontade ao Seu propósito.

 

Antes de qualquer coisa, seja um adorador. O Deus que remiu sua alma, que transformou sua vida e que tem sustentado seus passos é digno de toda a sua  adoração, de toda a sua vida e de todo o seu louvor. Adore-o.


 Deus te Fará Forte

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Deus é o que me cinge de força e aperfeiçoa o meu caminho. Faz os meus pés como os das cervas e põe-me nas minhas alturas. Adestra as minhas mãos para o combate, de sorte que os meus braços quebraram um arco de cobre. (Salmos 18.32-34)

 

Ninguém nasce em Deus já forte, assim como um bebê recém nascido é todo fragilidades. Nascemos espiritualmente frágeis também. Precisamos de cuidadores, de pessoas mais maduras ao nosso redor. E com o tempo, Deus vai trabalhando em nós para sermos o que foi por Ele planejado. Ele é o Fortalecedor de nossas vidas. Ele não chama guerreiros. Ele forja guerreiros.

Isso não significa que chegará um momento no qual não precisaremos de Deus. Significa que chegará o momento no qual aprenderemos a confiar Nele e a lutar Nele, sabendo que Nele temos toda a força que precisamos para a batalha da vida. Na verdade, o soldado de Deus é aquele que já entendeu que sua força própria é inútil no Reino e por isso precisa daquela que vem do Rei.

Deus não escolheu o rei Davi. Nem escolheu o general Davi ou mesmo o soldado Davi. O Senhor chamou o pastor de ovelhas, o filho mais tenro, o menino ignorado dentre os filhos de Jessé. Levou-o a percorrer um longo caminho antes que ele estivesse apto para o combate. Tomou um menino e fez dele um guerreiro forte.

Deus também está fortalecendo sua vida. Cada vez que você se põe diante Dele e de sua Palavra você se torna mais capacitado. Você é “fortalecido pelo seu Espírito” no seu interior (Efésios 3.16). Quando as lutas vêem sobre sua vida e você as enfrenta ao invés de fugir, ao final, sem perceber, está mais forte.

Deus permite as lutas porque é nelas que você está sendo forjado. Você pode achar que não, mas as batalhas do Evangelho, também são graça de Deus. “E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá.” (1 Pedro 5.10).

Há um Deus Todo Poderoso forjando você no calor das batalhas. Não desista, não fuja. O mundo precisa dos guerreiros de Deus.

 


 Deus Não Usa Multidões

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

E tornou a sair para o mar, e toda a multidão ia ter com ele, e ele os ensinava. E, passando, viu Levi, filho de Alfeu, sentado na alfândega e disse-lhe: Segue-me. E, levantando-se, o seguiu. (Marcos 2.13, 14)

 

Claro que multidões seguem Jesus. Inúmeros são aqueles que se movem todos os dias a lugares e eventos onde o nome Dele é proclamado. Para desgostos de ateus e outros Deus continua sendo buscado na terra. O nome de Jesus é grande entre as nações. No entanto, Deus chama pessoas em meio à essas multidões.

Foi do meio das multidões que ele escolheu e chamou os seus discípulos. Não bastava apenas andar com Ele. Seu coração ansiava por pessoas que teriam intimidade, que desfrutariam de uma comunhão maior, de uma proximidade para a qual nem todos estavam preparados. Pessoas que pagariam um preço alto para caminhar com Jesus e que com o passar do tempo descobririam que vale a pena pagara esse preço.

Então ele chamou a multidão e os discípulos e disse: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá; mas quem perder a sua vida por minha causa e pelo evangelho, a salvará”. (Marcos 8.34, 35)

Se queremos mais de Deus teremos de entregar mais a Ele. Teremos de buscar mais, de renunciar mais, de sacrificar mais. Teremos que morrer mais para nós mesmos. Não poucas vezes estaremos a sós com Deus. Iremos onde muitos não querem ir e faremos por Deus o que muitos jamais fariam. E nem sempre seremos compreendidos pelos homens, mas sempre seremos percebidos pelo Pai.

No entanto, à medida que caminharmos mais juntos do Senhor, veremos mais da sua glória, aprenderemos mais de suas verdades, compartilharemos mais de sua força. Reconheceremos que vale à pena pagar o preço nesta vida para estar mais próximo de Deus.

Em meio à multidão o Senhor chama você como chamou Levi [que era Mateus]. Esteja pronto para o caminho apertado e para a porta estreita. Não tenha medo. Levanta e segue-o. Com o tempo você verá quão precioso é ouvir Sua voz em meio à multidão e seguí-lo.

 


 Deus Está Trabalhando

Por Eguinaldo Hélio de Souza

           

No primeiro dia da semana, bem cedo, ao nascer do sol, elas se dirigiram ao sepulcro, perguntando umas às outras: “Quem removerá para nós a pedra da entrada do sepulcro?” Mas, quando foram verificar, viram que a pedra, que era muito grande, havia sido removida. (Marcos 16.2-4)

 

Geralmente vivemos ansiosos, apesar de colocarmos diante de Deus nossas preocupações. Nem sempre somos capazes de crer que Ele está se movendo, mas Ele está. Deus não pára. Não há um momento sequer no qual Ele não esteja levando avante seus propósitos.

“Meu Pai trabalha até agora e eu trabalho também”, disse Jesus. Deus não conhece a indecisão, a inatividade, a apatia. Deus não é o homem. Ele é um Deus que se move, um Deus que sempre se move.

Ele sempre faz o que precisa ser feito, do jeito e no momento em que precisa ser feito. Deus se move a seu favor. “Desde os tempos antigos ninguém ouviu, nenhum ouvido percebeu, e olho nenhum viu outro Deus, além de ti, que trabalha para aqueles que Nele esperam”. (Isaías 64.4). Se você está esperando Nele, não ficará decepcionado.

O seu Deus não dorme, mesmo quando você dorme. Ele age, inclusive naqueles momentos nos quais você não sabe o que fazer. Você não vê, não percebe. Somente quando tudo se concretiza é que você percebe que o silêncio de Deus não era inatividade e as orações não foram palavras vazias lançadas ao vento.

Ele não permitirá que você tropece; sim, o Protetor de Israel não dormirá; ele está sempre alerta! (Salmo 121.3, 4)

Às vezes vamos dormir depois de orar e pedir por intervenção divina diversas vezes. Aparentemente nada aconteceu. Nosso coração continua pesado e tudo parece estar como antes. Nenhum som, nenhuma palavra, nada de diferente. Então, pela manhã, o dia começa e a provisão chega, a cura acontece, nosso coração antes pesado parece agora ter paz. Quase não percebemos, e, no entanto, lentamente, passo a passo, as coisas foram voltando para o lugar. Deus agiu enquanto dormíamos. O choro durou uma noite, mas a alegria veio no amanhecer.

Glórias a esse Deus que age e se move, mesmo quando não percebemos! Enquanto dormimos, Ele remove as pedras!


 Despreparados Para as Bênçãos

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora. (João 16.12)

 

Sempre achamos que nosso despreparo existe com relação às situações difíceis, que as lutas chegam e não estamos aptos para enfrenta-las. Isso é verdade e acontece muitas vezes. A tempestade começa, Jesus está em nosso barco, mas como os discípulos, achamos que vamos morrer!

Entretanto, não é só para as tempestades que não estamos preparados. Muitas vezes, também não estamos preparados para as bênçãos. Queremos muitas coisas e ansiamos muitas coisas e até oramos por muitas coisas. Elas demoram a chegar e ficamos nos perguntando por que. Em alguns casos, é fato, não estamos preparados para ser abençoados!

Pode parecer uma contradição não estar pronto para uma coisa boa. A verdade, porém, é que talvez se certas coisas Deus nos desse hoje, é provável que não daríamos o devido valor a elas, não cuidaríamos adequadamente e a perderíamos logo. Ou quem sabe produziria em nós sentimentos de vaidade e orgulho que terminariam por nos prejudicar.

Alguém já disse que muitas vezes somos vasos rachados e por isso de nada adianta colocar algo em nós porque esse algo se perderá. Precisamos primeiro ser reparados para então receber o que temos de receber.

Fico pensando o que teria acontecido com José se ele tivesse aos dezessete ou vinte anos sido elevado à posição de vice governante do Egito, da forma como ele foi elevado depois aos trinta anos. Ele teria recebido sim uma grande bênção, mas a perderia logo ou cometeria tantos erros que na certa essa bênção se tornaria uma maldição! Receber toda aquela autoridade sem estar interiormente preparada para ela seria sua ruína.

Antes que a bênção chegue, precisamos ser preparados por Deus para recebê-la. Há coisas que Ele quer nos falar, mas ainda não estamos prontos para ouvir. Há coisas que Ele quer nos dar, mas ainda não estamos prontos para receber. Cada tempo tem suas vitórias, mas nem todas as vitórias podem vir a qualquer tempo.

Que Deus nos ajude e nos torne aptos para receber e desfrutar com sabedoria tudo o que está preparado para nós.

 


 De Todo o Coração

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Biblicamente falando, nosso coração é o centro de nossas decisões. Vigiá-lo, isto é, observar seus movimentos equivale a sondar a nossa vida. Por isso está escrito: De tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas [decisões] da vida (Provérbios 4.23). É muito fácil fazer as coisas com o coração dividido, não completamente envolvido, não completamente comprometido.

Não é incomum louvarmos a Deus com os lábios e ter o pensamento distante (Mateus 15.8). As vezes nossa boca se move diante de Deus, mas nossa alma está em outro lugar. Fazemos coisas de má vontade, exercemos nosso ministério, nosso chamado simplesmente por obrigação.

Precisamos aprender a fazer todas as coisas para Deus usando nossa vida como um todo. Que Ele nos ajude!

 

Buscando a Deus de todo coração

Então, me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei. E buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração. (Jeremias 29.12, 13)

 

Adorando a Deus de todo coração

Eu te louvarei, SENHOR, de todo o meu coração; na presença dos deuses a ti cantarei louvores. (Salmo 138.1)

 

Buscando a Palavra de todo coração

Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos e o buscam de todo o coração. (Salmo 119.2)

 

Obedecendo a Deus de todo o coração

Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei e observá-la-ei de todo o coração. (Salmo 119.34)

 

Crendo de todo o coração

Disse Filipe: “Você pode, se crê de todo” (Atos 8.37 NVI)

 

Fazendo tudo para Deus de todo o coração

E, tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor e não aos homens, sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis. (Colossenses 3.23, 24)

 

Nosso coração é a medida que Deus usa para avaliar nossas ações. Não é quanto tempo gastamos ou a quantidade de coisas que fizemos. E sim, quando do nosso ser esteve envolvido.

 

Porque, quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é totalmente Dele… (2 Crônicas 16.9)


 Eu Creio na Eternidade

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade… (Eclesiastes 3.11)

Eu creio na eternidade. Não como algo distante, remoto, irreal e sim como o momento da realidade quando nenhum som silenciará a voz de Deus e nenhuma escuridão ocultará Seu brilho. E nenhuma mentirá haverá para turvar Sua verdade, nenhuma maldade para esconder Seu amor, nenhuma dor para ofuscar Sua bondade.

Creio na eternidade como a estação final para todos os que vivem e viveram neste mundo. Creio que muito do que hoje não entendemos, ali será compreendido claramente. E todas as imperfeições deste mundo decaído, serão ali harmonizadas. Tudo o que aqui é confuso, ali já não será. Ali tudo fará sentido, tudo será luz plena, tudo trará a marca do Deus Eterno, para os que viveram neste mundo amando ao Deus Eterno.

As injustiças aqui não julgadas serão definidas na eternidade. Os feitos aparentemente não notados terão suas consequências ali conhecidas. Tudo o que o homem não viu, será visto por todos e para todo o sempre. Das mentiras, enganos e ilusões deste mundo, nada mais restará.

Nós nos acostumamos tanto com esta terra amaldiçoada (Gênesis 3.17) que sequer conseguimos pensar em um lugar e em um tempo onde só há bênçãos. Aceitamos de tal modo a morte que nos é difícil pensar em uma condição onde só exista a Vida. Nossa existência corrompida, andando tanto tempo em meio a este mundo corrompido tem dificuldade de vislumbrar uma condição de existência onde a vontade de Deus seja plena.

Falar de bem sem nenhum mal, de vida sem nenhuma morte e de alegria sem nenhuma dor soa como ficção e fantasia na mente dos que não conhecem o Deus que enxuga de nossos olhos toda lágrima (Apocalipse 21.4). Sua fidelidade, porém, tantas vezes não percebida neste mundo de pecados, será experimentada em toda sua plenitude. Tudo será tão diferente, pois tudo refletirá a perfeição divina.

Ele porá fim a todo o mal e será tudo em tudo, será tudo em todos (1 Coríntios 15.28). E o passado será uma pálida sombra diante da glória e do brilho que ali haverá. E tais glórias e tais brilhos serão para todo aquele que Nele crer e Nele permanecer até o fim.