Em Nós, Através de Nós e Apesar de Nós

Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens, porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração (2 Corintios 3.2, 3)

Deus é um Deus que age em nós. Só Ele tem acesso pleno ao mais íntimo de nosso ser. Só Ele pode alcançar as partes mais interiores de nosso coração. Ninguém a não ser Ele tem poder para modificar de modo radical a nossa mente, transformar poderosamente os nossos sentimentos e modificar sobrenaturalmente a nossa vontade. Muitos dos que hoje amam a Deus acima de todas as coisas, outrora rejeitavam tudo o que vinha Dele. Pessoas que sequer pensavam Nele, fazem Dele o primeiro pensamento ao acordar e o último ao dormir. Vivendo antes para si, agora vivem inteiramente para Ele, sabem que existem para fazer Sua vontade.

Só Deus pode transformar um homem em tal profundidade.

Entretanto, Deus não para por aí. Ele começa a alcançar outras pessoas através de nós. Ele fala a elas pelos nossos atos e pelas nossas palavras. Ele as toca pelos nossos toques. Ele as ama pelo nosso amor, usa nossa força, a força que Ele mesmo nos deu, para fortalecê-las. Ele chega até elas através de nós. Ele nos dá alegria, provisão, sabedoria e fé em grande abundância, faz-nos transbordar de todo bem quem vem do alto, para que transbordando abençoemos todos ao nosso redor.

Ainda mais do que isso. Ele age apesar de nós. Não somos bons papéis de carta. Somos folhas calosas, amassadas, manchadas, defeituosas. Apesar de todas as suas promessas e de todo amor que Ele tem demonstrado, temos falhado, temos duvidado, temos vacilado em nosso caminhar com Ele. E mesmo assim Ele age em nós e através de nós. Ele opera apesar de nossa imperfeição. Ele cumpre em nós e através de nós o Seu propósito em meio às nossas falhas e hesitações.

Em nós, através de nós e apesar de nós é o Seu mover. “Porque Dele, por Ele e para Ele são todas as coisas. Glória, pois, a Ele eternamente. Amém” (Romanos 11.36). Obrigado Deus!


 Sobre o Amor

Não faças do teu amor teus grilhões. Faça dele asas, que lhe farão chegar às alturas inatingíveis. Teu amor não é um mero sentimento que arrebata. É a vontade que escolhe a quem farás feliz e por quem lutarás. Não é o que te invade de repente, mas aquilo que emana de ti para o outro. Não é incêndio que te cerca. É a fogueira que tu mesmo acendes e alimentas com alegria. Não é uma surpresa. É um querer. Não é um abismo do qual tens de fugir amedrontado. É a montanha que te cabe escalar. É mais uma busca do que um encontro, mais o alvo aonde miras do que a flecha que te atinge. Não é de modo algum uma espera, é antes um poderoso mover.

Teu amor não é essa ilusão inatingível. É a tua decisão palpável de realizar, de criar algo novo e belo. É mais o que queres do que o que sentes, mais tuas ações do que tuas reflexões. É menos aquilo que está no teu interior, e mais aquilo que projetaste para fora e se tornou visível. É mais sensitivo do que intuitivo. Ele tem formas, várias formas. E cores, muitas cores. E essências, inumeráveis essências. Se amas realmente, todos vêem. Teu amor nasce em teu íntimo, mas jamais permanece aí, pois nada pode conter sua força. Se amas realmente, muitas coisas nascerão desse amor.

O teu amor, é também o primeiro prêmio do teu amor. Ele é a principal recompensa de si mesmo. Não precisas aguardar que a semente brote. É belo, por si só, poder semeá-la, pois esta semente é tão bela e boa quanto o seu fruto. Feliz é quem semeia, como quem ceifa, quem ama como quem é amado. Sois feliz não porque sois amado, mas porque amais. O amor te faz correr, te faz lutar, te faz viver, te faz voar. Ame o amar. Pois amarás o amor e amor por fim te amará. E se apegará a ti para jamais deixar-te.

Dissera Camões que “tão contrário a si mesmo é o amor”. Digo, porém que não é ele contrário a si mesmo, mas contrário a ti e a mim. Aquilo que ele é, é muitas vezes tudo aquilo que não somos. Aquilo que ele exige é tudo aquilo que negamos. Porventura não somos, na maioria das vezes, aquilo que não queremos ser? E o amor nos pede justamente aquilo que queremos e que nos sentimos incapazes de ser e de fazer. Embora criados para ele, sentimo-lo um corpo estranho na estranha essência do que somos. Ainda que ele seja uma necessidade, suas exigências nos assustam. Ele é o dono da casa para quem nem sempre nos dispomos a abrir a porta. E seu bater é muitas vezes o nosso incômodo.

Ele é sim, a doçura da dor, a fraqueza mais forte, a tristeza feliz, a resposta silenciosa dos “porquês”. Não, ele não é cego, apenas vê mais longe e mais fundo. Não ele não é tolo, apenas não pode ser compreendido com a sabedoria deste mundo.

Teu amor terá de ser sempre luz num mundo escuro, calor num mundo frio, paz perene em guerra eterna. Só ele odeia o ódio e guerreia contra a guerra. Solvente universal onde se diluem todas as diferenças e conflitos, apenas ele tem o poder de apagar os passados mais vermelhos e os mais negros. Mesmo o que não pode definitivamente ser destruído, pode ser absorvido, envolvido e vencido em teu amor.

Como disse alguém: “O amor nasceu de Deus, e só em Deus pode descansar, acima de todas as coisas” (Thomaz de Kempis)

Este texto é parte integrante do livro Lições de Amor


 Mantenha o Foco

Sambalate e Gesém enviaram a dizer: Vem, e congreguemo-nos juntamente nas aldeias, no vale de Ono. Porém intentavam fazer-me mal. E enviei-lhes mensageiros a dizer: Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer; por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco? E da mesma maneira enviaram a mim quatro vezes; e da mesma maneira lhes respondi. (Neemias 6.2-4)

O mais difícil em nossa luta não é achar o alvo. Difícil é manter os olhos nele e caminhar em sua direção sem se desviar. São tantas coisas a encher a nossa mente, tantos problemas e ansiedades a dominar nossos corações. De repente, quando olhamos, já perdemos nosso foco. Não terminamos o que começamos, não atingimos nosso objetivo e não realizamos a vontade do Pai. Um dos grandes segredos de Neemias era foco. Não permitia que nada o distraísse.

Só temos uma vida para viver e infelizmente desperdiçamos boa parte dela em tarefas inacabadas e projetos inconclusos. Alguns, nem a Bíblia conseguem ler até o final. Mais foram os livros que pararam no meio do que os que leram até o fim.

Pedro andou sobre as águas caminhando em direção a Jesus, mas afundou ao prestar atenção no vento (Mateus 14.29, 30). Isso já aconteceu conosco e então culpamos o vento ao invés de reconhecer nossa falta de foco. Precisamos disciplinar nosso espírito, concentrar nossa mente e avançar na direção do Senhor. Temos de agarrar de coração cada tarefa a nós confiada, cada projeto apresentado e só largá-los no fim ou se definitivamente se mostrarem inúteis. Não adianta focar no que não vale à pena.

De nada adianta você chorar a oportunidade perdida, o fracasso evidente, a meta que ficou para trás. É preciso levantar as mãos cansadas, os joelhos trementes e fazer veredas seguras para os nossos passos (Hebreus 12.12, 13). Não lamente as coisas que não foram. Busque as que ainda podem ser.

Ventos hão de soprar, homens mal intencionados irão se manifestar e nossas debilidades nos atrapalharão de modo constrangedor. E ainda assim precisamos e podemos manter o foco, olhando para Jesus, autor e consumador de nossa fé e correr a carreira que nos está proposta. (Hebreus 12.1-3).

Retome seu foco. Redobre sua determinação. Realize para o seu Deus.


 Tempo de Espera, Também é Tempo de Missão

E, enquanto Paulo os esperava em Atenas, o seu espírito se comovia em si mesmo, vendo a cidade tão entregue à idolatria. De sorte que disputava na sinagoga com os judeus e religiosos e, todos os dias, na praça, com os que se apresentavam. (Atos 17.16, 17)

Paulo não estava na cidade de Atenas, capital da filosofia do mundo romano, para pregar o Evangelho, para implantar igrejas ou qualquer atividade missionária. Na verdade, estava apenas esperando que Silas e Timóteo viessem para prosseguir viagem. No entanto, enquanto esperava, foi movido a confrontar as crenças e as filosofias daquele lugar, nos deixando um dos momentos mais emocionantes da história, quando a revelação divina chocou-se com a sabedoria e a especulação humana.

O tempo de espera tornou-se tempo de missão. Enquanto aguardava o amanhã, fez do hoje momento para semear. Claro que ansiava chegar ao seu destino e cumprir sua missão. Ele, como todos os grandes realizadores, tinha no coração bem nítido o seu foco. Sabia onde deveria ir e o que deveria fazer. No entanto, não permitiu que sua estadia fosse tempo infrutífero. Não perdeu a oportunidade do hoje por causa do seu amanhã.

Sim, Deus tem muitas coisas especiais para nós mais adiante. Há missões que nos esperam mais à frente. Todavia, enquanto este tempo não chega, o agora também é terra fértil. Não posso esquecer minha estrada, o chão onde piso, quando estou caminhando em direção ao meu horizonte. O Deus que fez o amanhã, fez o hoje também. Darei frutos enquanto aquela missão não chega. Agora também é tempo de semear, de arar, de regar, de colher. O momento presente também é tempo do meu Deus e posso usá-lo para a glória Dele.

Eu sei que Deus tem para você coisas maravilhosas sobre as quais já tem falado ao seu coração. Eu sei que há tempos você se prepara e ora pelas coisas que virão. Mas nem por isso a passividade, a acomodação ou a ansiedade devem minar ou adiar os frutos de Deus em sua vida.

Hoje também é tempo aceitável, agora também é tempo de salvação (1 Coríntios 6.2).

Levante-se. Enquanto o amanhã não chega, hoje é dia de dar frutos para a glória de Deus. Seu tempo de espera, também é tempo de missão.