A Brevidade da Vida

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Quando nós, cristãos, falamos em brevidade da vida, estamos na verdade falando de brevidade desta vida. Sabemos que ela é apenas uma ante sala, uma peregrinação em direção a algo muito maior e melhor. Não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a futura (Hebreus 13.14). Portanto, nossos passos aqui diferem dos passos daqueles que acreditam que esta vida é tudo o que lhes resta. Nosso olhar está na eternidade.

Sabemos que aqui nenhuma perda é permanente. Propriedades, posições, pessoas – a perda delas não é definitiva porque a própria vida aqui não é definitiva. Podemos não somente aceitar essas perdas, mas até mesmo renunciar a elas porque coisas muito melhores e eternas nos aguardam.

E também por causa dessa brevidade sabemos que nenhuma tristeza é para sempre. Vale à pena suportar as dores inevitáveis, carregar os fardos intransferíveis, chorar todos os nossos choros, pois eles não serão para sempre. Assim também vós, agora, na verdade, tendes tristeza; mas outra vez vos verei, e o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria, ninguém vo-la tirará. (João 16.22).

E dentro dessa perspectiva temos que reconhecer que nenhum bem é eterno, que nada do que temos aqui, por melhor que seja, por mais gratos que sejamos a Deus por ele, nos acompanhará para a eternidade. Isso ajuda nosso coração a se fixar naquilo que é permanente e não naquilo que é passageiro. Deixam de ser embaraços em nossa corrida (Hebreus 12.1, 2)

E igualmente temos que lembrar que nenhuma alegria aqui é plena e definitiva. São momentos muito especiais que devemos aproveitar, mas que conscientemente sabemos que não são tudo neste universo. São apenas pequenas amostrar desse Deus de amor que nos aguarda na eternidade.

O que quero dizer é que o tempo é curto. De agora em diante, aqueles que (…) choram, [sejam] como se não chorassem; os que estão felizes, como se não estivessem; os que compram algo, como se nada possuíssem; os que usam as coisas do mundo, como se não as usassem; porque a forma presente deste mundo está passando. (1 Coríntios 7.29-31).

A vida aqui é breve, mas a eternidade está toda diante de nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *