As Desculpas Não Nos Salvarão

Por Eguinaldo Hélio de Souza

“O senhor respondeu: ‘Servo mau e negligente! Você sabia que eu colho onde não plantei e junto onde não semeei? Então você devia ter confiado o meu dinheiro aos banqueiros, para que, quando eu voltasse, o recebesse de volta com juros. Mateus 25.24-27

Muitas vezes pensamos que as desculpas que criamos para não fazer o que deveríamos ter feito são suficientes para justificar nossa desobediência diante de Deus. Acreditamos que Deus é obrigado a aceitar nossas justificações, mesmo que elas não tenham qualquer fundamento. Não é assim.

Quantas pessoas que conhecem muito bem as verdades fundamentais da fé cristã apresentam uma série de motivos pelos quais não estão servindo a Deus e praticando aquilo que sabem que devem praticar. Elas têm na ponta da língua uma “razão” para sua recusa em se submeter a Deus. Apontam inúmeras pessoas e acontecimentos que explicariam o porquê de sua rebeldia. Usam um caminhão de pretextos para justificar-se diante de Deus e dos homens. Isto, todavia, não funciona agora e não funcionará no julgamento daquele grande dia.

Deus nos chama para a obediência a Ele. Sua vontade é soberana, seu querer determinante. Ele é o Senhor absoluto de tudo e de todos, aceitem ou não, reconheçam ou não. Sua compreensão, seu amor e sua misericórdia não anulam o fato de que se Ele nos ordenou algo nos compete apenas obedecer.

Podemos até tentar e não conseguir. Podemos falhar em nosso trabalho para Ele e não atingir a meta estabelecida. Nossas limitações não lhe são desconhecidas. Errar o alvo não é a mesma coisa de se recusar a atirar a flecha. Ele pode perdoar nossas falhas na caminhada, mas não pode aceitar nossa recusa em caminhar. Nenhuma desculpa tornará nossa desobediência aceitável.

Pessoas com muito mais dificuldades e obstáculos que nós têm superado tudo para cumprir a vontade de Deus para suas vidas. Elas têm pago um alto preço para obedecer porque sabem que Aquele que ordenou é digno de nossos maiores esforços.

É hora de deixar nossas desculpas de lado, levantar e andar, e fazer a vontade Daquele que é digno de nossa total obediência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *