Nosso Entendimento é Demorado

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Quando estava à mesa com eles, tomou o pão, deu graças, partiu-o e o deu a eles. Então os olhos deles foram abertos e o reconheceram, e ele desapareceu da vista deles. Perguntaram-se um ao outro: “Não estava queimando o nosso coração, enquanto ele nos falava no caminho e nos expunha as Escrituras?” (Lucas 24.30-32)

Eu gostaria de dizer que nós sempre percebemos o agir do Senhor em nossas vidas e que sempre ouvimos seu falar aos nossos corações. Todavia, isto não é verdade. Inúmeras vezes Ele age e não vemos, Ele fala e não percebemos. Somos cegos e surdos para muitas coisas do Senhor.

Jesus andou com os discípulos no caminho de Emaús por um bom tempo. Onze quilômetros era a distância até Jerusalém. E embora Ele caminhasse e falasse com eles durante todo o trajeto, não o reconheceram e nem compreendiam as coisas que lhes dizia. A dor em seus corações, as dúvidas que agora açoitavam suas mentes, o espanto que sentiam – tudo isso era como que um véu impedindo que percebessem o agir e o falar do Senhor.

Não somos diferentes. Prestamos mais atenção aos nossos sentimentos, aos nossos pensamos e ideias do que naquilo que o Senhor está fazendo e dizendo. Vivemos como se Ele estivesse longe e ausente de nós, quando sua promessa foi de que estaria conosco todos os dias até a consumação dos séculos. Nossa percepção, contudo, permanece embotada, nossos fechados, nossos ouvidos ensurdecidos para aquilo que vem Dele.

Tenho certeza de que hoje você consegue perceber mais a mão do Senhor e ouvir seu falar muito mais do que no passado. Sua intimidade com Ele tem crescido e por isso você O sente mais e O ouve mais. E ainda, assim, em muitos momentos, você não percebeu sua presença nem ouviu sua voz.

O agir e o falar do Senhor em nós é constante. Ele não vem até nós de vez em quanto em um culto abençoado, em uma Palavra especial, ou somente nas horas de agonia. Ele é Javé-Shamá, o Deus presente que nunca nos deixa ou nos abandona.

Que o Senhor aumente nossa percepção. Que em tudo, a todo momento e em qualquer circunstâncias possamos percebê-lo e ouvi-lo. Pois será essa Presença e essa Voz que nos fará triunfar.


 Arrependimento Profundo

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Arrependei-vos e crede no Evangelho (Marcos 1.15)

Deus nos chama para um arrependimento profundo e não para um remorso passageiro. Muitos reconhecem seus erros vagamente, concordam mentalmente que não deveriam ter feito o que fizeram, ter dito o que disseram ou que não é correto viver como vivem. Todavia, após constatar isso, continuam vivendo como se os mandamentos de Deus fossem meros conselhos e não regras absolutas sobre as quais prestarão conta. Muitos, mesmo reconhecendo sua falibilidade, não sentem por ela qualquer peso.

Quando Deus nos chama para o arrependimento Ele não está nos dando uma opção de obedecê-Lo ou não. Ele está dizendo que não podemos mais ser quem somos e viver como vivemos. Precisamos mudar nossos hábitos, mudar nossa maneira de pensar e ver tudo sob a perspectiva Dele.

Então gritei: Ai de mim! Estou perdido! Pois sou um homem de lábios impuros e vivo no meio de um povo de lábios impuros; os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos! (Isaías 6.5)

O grito e a aflição de Isaías demonstraram o quanto ele compreendeu o que estava em jogo. Ele havia visto um Deus Santo, Puro, Glorioso. Os maus hábitos de sua boca eram uma ofensa a esse Deus Sublime. Viu que seus atos não eram algum tipo de comportamento facilmente desculpável por um Deus afetuoso e bonachão. Eram uma afronta à Santidade Divina. Continuar fazendo o que fazia seria como cuspir no rosto Daquele que estava assentado no alto e sublime trono. Ele aguardava a morte a qualquer momento. Seu arrependimento foi tão profundo que o fez profeta do Altíssimo.

As pessoas podem até corrigir seus maus hábitos por um motivo ou outro. Arrependimento no sentido bíblico, porém, é algo muito mais radical. É enxergar nossos pecados sob a luz da Luz de Deus. É perceber quão sério é desobedece-Lo, ignorá-Lo, resisti-Lo. É começar a ver as coisas como Deus as vê.

Isso não significa que o arrependido jamais errará novamente. Significa que ele jamais verá suas atitudes, palavras e pensamentos da mesma forma novamente. No arrependido, a contínua consciência da sua própria pecaminosidade o levará a viver em temor reverente diante de Deus, com uma clara convicção que é só por sua infinita misericórdia que não somos consumidos.


 Passos Que Guiam Passos

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Façam caminhos retos para os seus pés, para que o manco não se desvie, antes, seja curado. (Hebreus 12.13)

Mesmo sem perceber e mesmo sem querer, não abrindo a boca para dizer qualquer coisa, nós estamos ensinando. Os olhos de muitos estão sobre nós e pelos olhos também se aprende. A maneira como nós andamos vai determinar a forma como outros andarão. Nosso estilo de vida não acaba conosco. Na verdade, ele se multiplica através de nós. A verdade é que nós não apenas caminhamos, mas fazemos um caminho enquanto andamos.

Vivemos em mundo sem padrão onde todos clamam por padrões e onde todos buscam alguém para imitar, mesmo de forma inconsciente. Todos querem alguém que lhes ensine como andar com Deus. Mesmo que não digam isso, no fundo do coração, as pessoas buscam quem lhes ensine como caminhar no caminho da santidade, da fé, do amor, enfim, no caminho de Cristo sobre o qual nos fala a Bíblia.

Quando andamos com firmeza nos caminhos de Deus produzimos firmeza naqueles que estão ao nosso redor, sejam nossos filhos, cônjuges ou irmãos em Cristo. Quando vacilamos outros vacilam também e, muitas vezes, os que já vacilavam caem. Por isso é tão importante a forma como vivemos neste mundo a nossa vida com Deus.

De certa forma, nunca estamos sozinhos, nunca damos conta apenas de nós mesmos. Querendo ou não, estamos guiando outros com nossas vidas. Gostando ou não, há muitos que dependem da nossa maneira de viver. E não podemos reclamar, pois se estamos em pé pela fé foi porque fomos influenciados por homens e mulheres de Deus que marcharam confiantemente em Cristo e influenciaram nossas vidas.

Sua oração levará outros à oração. Se temor produzirá temor em outros. Sua dedicação levará mais pessoas a se dedicar a Cristo. Às vezes, de modo imperceptível, você estará influenciando vidas de uma maneira poderosa, mesmo sem pronunciar uma única palavra.

Essa verdade deve despertar temor em nosso coração. Não queremos ser responsáveis pela queda de ninguém. Queremos que nossa vida erga outras vidas, guie outros passos. Queremos ser inspiração e influência santa na vida de todos, mesmo daqueles que hoje tropeçam.

Você não chegará na glória sozinho. Será seguido por pessoas que viram a firmeza e a constância de seus passos e acompanharão você até o fim da jornada.