Com Toda a Tua Força

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

O que as suas mãos tiverem que fazer, que o façam com toda a sua força… (Eclesiastes 9.10)

Nem sempre o que fazemos, fazemos com todo o nosso coração. Mesmo muito do que fazemos para o Senhor e para o Reino é feito de modo automático ou displicente, sem devoção, amor ou zelo. Ou pior ainda. Muitas vezes realizamos nossas tarefas com má vontade e com murmuração, motivados por rivalidades ou vaidades. Deus tenha misericórdia de nós.

Também por isso desistimos. Também por isso sentimos grande peso em nossas atividades, que são feitas com um coração dividido e uma mente dividida. Não nos entregamos àquilo que estamos realizando, mas vivemos na casa do amanhã e habitamos em outras coisas enquanto fazemos outras. Não há paixão, não há alma, não há coração nas obras de nossas mãos.

Oramos só com retórica ao invés de orar no espírito. Adoramos de boca e não de coração. Lemos a Bíblia como rotina e não como quem anseia pela voz de Deus. Obedecemos por fora enquanto por dentro protestamos, reclamamos, contestamos. Começamos as coisas no Espírito e terminamos na carne. Iniciamos motivados pelo ardor divino e logo caímos nas cinzas da razão humana. Por isso não há alegria, não há vida e nem glória para Deus em muito do que fazemos.

Não basta fazer. Precisamos fazer com todas as nossas forças. Só assim o que fazemos glorificará a Deus e terá valor eterno. Pois tudo o que vale a pena ser feito, vale a pena ser bem feito.

Porque, se prego de livre vontade, tenho recompensa; contudo, se prego por obrigação, estou simplesmente cumprindo uma incumbência a mim confiada. (1 Coríntios 9.17)

A vida é curta demais para gastá-la em atividades mal feitas. Ou amamos o que fazemos ou é melhor deixar de lado. Se o nosso sim for um não ou nosso não for um sim, nenhum fruto real nós teremos. Será só aparência. Será nada aos olhos de Deus. Fazer algo sem querer fazê-lo, não é fazer. É enganar-se a si mesmo.

E, tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor e não aos homens, sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis. (Colossenses 3.23, 24)

Talvez não seja necessário parar ou fazer outra coisa. Talvez só seja necessário mudar como você faz. E isto, é uma questão do coração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *