O Jesus Inevitável

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Temos que falar d’Ele, pois é n’Ele que o desespero se torna em esperança, o pranto em riso, a dor em cura e a morte em vida. De todos os que já pisaram sobre a terra, nenhum nome falou tão alto, nenhuma vida trouxe tanta Vida quanto a Dele. E é por isso que temos de falar d’Ele. Sei que você já ouviu muito a seu respeito. Católicos, protestantes, espíritas, gnósticos, hippies e muitos neste mundo carregam Jesus em seu credo. Cinema, televisão e literatura não o deixam fora do seu enredo. Mas para muitos parece que Jesus perdeu sua força. Ele parece ser um mito da religião dos mais velhos, um mero assunto de discussão entre pessoas religiosas e você prefere ficar fora dessas discussões. Ou quem sabe você é uma das pessoas religiosas que o discutem. Ás vezes Ele está envolvido numa nuvem de argumentos e conceitos tão espessa, que aquilo que verdadeiramente Ele é passa, despercebido pelos seus olhos. Você só consegue vê-lo e ouvi-lo pelos olhos dos outros, quando seria bem diferente se você pudesse vê-lo com seus próprios olhos e ouvi-lo com seus próprios ouvidos.

Quão grande é JESUS!! Ele venceu as enfermidades trazendo a cura. Perdoou os pecados mais terríveis em homens e mulheres. Saciou a tantos multiplicando pães. Libertou os oprimidos por espíritos malignos. E após três dias da sua morte na cruz os que foram ao seu túmulo o encontraram vazio – Ele havia vencido a morte.

Era um carpinteiro. Três anos e meio somente foi o tempo que ele utilizou para dizer o que disse e fazer o que fez. A única vez em que esteve perante um rei foi para receber a sentença de condenação. Sua companhia era a gente simples do povo, gente desprezada como as prostitutas e os cobradores de impostos. Entre os pescadores, homens indoutos e sem letras, ele escolheu seus principais seguidores. Após aqueles três anos e meio em que passou entre o povo, foi coroado de espinhos e entronizado em uma cruz, em meio ao escárnio e desprezo dos líderes religiosos e do povo em geral. E assim ele viveu e morreu entre nós.

Mas sua morte era a vida e seu fim o começo de uma nova era. Daquela cruz brotou uma torrente de poder e vida que tem influenciado milhões e milhões de pessoas em todo o mundo. Uma torrente de salvação, de cura, de amor, de perdão, de esperança, de libertação e de tudo o mais que a humanidade precisa. Fonte esta que não se esgotou nestes dois milênios, da qual desfalecidos e sedentos podem beber abundantemente. Jesus se colocou em pé e clamou, dizendo: Quem tem sede, venha a mim e beba.

Você pode beber e saciar-se com aquilo que sua alma precisa. Você não necessita continuar vazio, frustrado, em desespero. Hoje mesmo, Jesus vem a você e o salva se você clamar por Ele. “Aquele que invocar o nome do Senhor será salvo” (Atos 2.21)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *