O Deus de Todos os Recursos

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

“…abre bem a tua boca e eu a encherei”. (Salmo 81.10

Temos sido muito tolos diante de quem Deus é e diante das promessas que Ele fez. Nossa mente embotada tem sido incapaz de enxergar a grandeza de Sua generosidade, a fidelidade de Suas promessas, a abundância de Seus recursos. Em nossa percepção, temos transferido para Ele o egoísmo da personalidade humana decaída, bem como nossas limitações e as limitações deste mundo que nos rodeia.

Ele tem todos os recursos que precisamos. Não apenas isto. Ele se alegra em nos suprir de tais recursos. Se vós, sendo maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quando mais vosso Pai celestial dará coisas boas aos que lhe pedirem (Mateus 7.11).

Quando falamos em recursos, logo pensamos em recursos financeiros. Esses também. No entanto, recurso não é apenas dinheiro. É tudo aquilo que precisamos para realizar certos objetivos. E talvez, o dinheiro seja o último dos recursos necessários. Precisamos de coisas bem mais essenciais.

Precisamos de recursos internos. Não conseguimos muitas coisas porque nos falta força para avançar em meio aos obstáculos naturais. Outras vezes nos falta a sabedoria necessária para resolver e implementar ações efetivas. Falta-nos coragem para enfrentar a oposição, para remover o que precisa ser removido. Falta-nos fé sem a qual é impossível agradá-lo. E então ficamos trabalhando dentro dos limites do natural. Falta-nos amor, essa essência divina que nos capacita ir além das circunstâncias, porque é o amor que “tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta” (1 Corintios 13.7). Falta-nos direção para nossas escolhas, esse elemento indispensável que Ele prometeu nos dar diante de seus olhos (Salmo 32.8). Enfim, falta-nos inúmeros recursos interiores que se encontram Nele e não temos porque não pedimos. E as vezes até pensamos que não devemos ou não precisamos pedir.

Estamos vazios porque não vamos constantemente, insistentemente, Naquele que é a plenitude.

Quantas vezes precisamos de ajuda de pessoas capacitadas, mas não as pedimos. Jesus disse que a seara é grande e os trabalhadores poucos. Ele já ordenou que pedíssemos trabalhadores para o Senhor da seara, mas não pedimos e reclamamos da solidão. E a seara a nós confiada sobre por causa de nossa negligência na oração. Nem mesmo Jesus abriu mão dos recursos humanos. Orou e pediu por eles (Lucas 6.12, 13)

Deus não é Deus para suprir umas poucas coisas em nossa vida, coisas que não conseguimos por nós mesmos. Ele é o Deus de todos os recursos. Tudo que precisamos existe Nele, tudo que necessitamos virá Dele. Não temos tão somente porque não pedimos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *