Nosso Entendimento é Demorado

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Quando estava à mesa com eles, tomou o pão, deu graças, partiu-o e o deu a eles. Então os olhos deles foram abertos e o reconheceram, e ele desapareceu da vista deles. Perguntaram-se um ao outro: “Não estava queimando o nosso coração, enquanto ele nos falava no caminho e nos expunha as Escrituras?” (Lucas 24.30-32)

Eu gostaria de dizer que nós sempre percebemos o agir do Senhor em nossas vidas e que sempre ouvimos seu falar aos nossos corações. Todavia, isto não é verdade. Inúmeras vezes Ele age e não vemos, Ele fala e não percebemos. Somos cegos e surdos para muitas coisas do Senhor.

Jesus andou com os discípulos no caminho de Emaús por um bom tempo. Onze quilômetros era a distância até Jerusalém. E embora Ele caminhasse e falasse com eles durante todo o trajeto, não o reconheceram e nem compreendiam as coisas que lhes dizia. A dor em seus corações, as dúvidas que agora açoitavam suas mentes, o espanto que sentiam – tudo isso era como que um véu impedindo que percebessem o agir e o falar do Senhor.

Não somos diferentes. Prestamos mais atenção aos nossos sentimentos, aos nossos pensamos e ideias do que naquilo que o Senhor está fazendo e dizendo. Vivemos como se Ele estivesse longe e ausente de nós, quando sua promessa foi de que estaria conosco todos os dias até a consumação dos séculos. Nossa percepção, contudo, permanece embotada, nossos fechados, nossos ouvidos ensurdecidos para aquilo que vem Dele.

Tenho certeza de que hoje você consegue perceber mais a mão do Senhor e ouvir seu falar muito mais do que no passado. Sua intimidade com Ele tem crescido e por isso você O sente mais e O ouve mais. E ainda, assim, em muitos momentos, você não percebeu sua presença nem ouviu sua voz.

O agir e o falar do Senhor em nós é constante. Ele não vem até nós de vez em quanto em um culto abençoado, em uma Palavra especial, ou somente nas horas de agonia. Ele é Javé-Shamá, o Deus presente que nunca nos deixa ou nos abandona.

Que o Senhor aumente nossa percepção. Que em tudo, a todo momento e em qualquer circunstâncias possamos percebê-lo e ouvi-lo. Pois será essa Presença e essa Voz que nos fará triunfar.


 Arrependimento Profundo

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Arrependei-vos e crede no Evangelho (Marcos 1.15)

Deus nos chama para um arrependimento profundo e não para um remorso passageiro. Muitos reconhecem seus erros vagamente, concordam mentalmente que não deveriam ter feito o que fizeram, ter dito o que disseram ou que não é correto viver como vivem. Todavia, após constatar isso, continuam vivendo como se os mandamentos de Deus fossem meros conselhos e não regras absolutas sobre as quais prestarão conta. Muitos, mesmo reconhecendo sua falibilidade, não sentem por ela qualquer peso.

Quando Deus nos chama para o arrependimento Ele não está nos dando uma opção de obedecê-Lo ou não. Ele está dizendo que não podemos mais ser quem somos e viver como vivemos. Precisamos mudar nossos hábitos, mudar nossa maneira de pensar e ver tudo sob a perspectiva Dele.

Então gritei: Ai de mim! Estou perdido! Pois sou um homem de lábios impuros e vivo no meio de um povo de lábios impuros; os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos! (Isaías 6.5)

O grito e a aflição de Isaías demonstraram o quanto ele compreendeu o que estava em jogo. Ele havia visto um Deus Santo, Puro, Glorioso. Os maus hábitos de sua boca eram uma ofensa a esse Deus Sublime. Viu que seus atos não eram algum tipo de comportamento facilmente desculpável por um Deus afetuoso e bonachão. Eram uma afronta à Santidade Divina. Continuar fazendo o que fazia seria como cuspir no rosto Daquele que estava assentado no alto e sublime trono. Ele aguardava a morte a qualquer momento. Seu arrependimento foi tão profundo que o fez profeta do Altíssimo.

As pessoas podem até corrigir seus maus hábitos por um motivo ou outro. Arrependimento no sentido bíblico, porém, é algo muito mais radical. É enxergar nossos pecados sob a luz da Luz de Deus. É perceber quão sério é desobedece-Lo, ignorá-Lo, resisti-Lo. É começar a ver as coisas como Deus as vê.

Isso não significa que o arrependido jamais errará novamente. Significa que ele jamais verá suas atitudes, palavras e pensamentos da mesma forma novamente. No arrependido, a contínua consciência da sua própria pecaminosidade o levará a viver em temor reverente diante de Deus, com uma clara convicção que é só por sua infinita misericórdia que não somos consumidos.


 Passos Que Guiam Passos

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Façam caminhos retos para os seus pés, para que o manco não se desvie, antes, seja curado. (Hebreus 12.13)

Mesmo sem perceber e mesmo sem querer, não abrindo a boca para dizer qualquer coisa, nós estamos ensinando. Os olhos de muitos estão sobre nós e pelos olhos também se aprende. A maneira como nós andamos vai determinar a forma como outros andarão. Nosso estilo de vida não acaba conosco. Na verdade, ele se multiplica através de nós. A verdade é que nós não apenas caminhamos, mas fazemos um caminho enquanto andamos.

Vivemos em mundo sem padrão onde todos clamam por padrões e onde todos buscam alguém para imitar, mesmo de forma inconsciente. Todos querem alguém que lhes ensine como andar com Deus. Mesmo que não digam isso, no fundo do coração, as pessoas buscam quem lhes ensine como caminhar no caminho da santidade, da fé, do amor, enfim, no caminho de Cristo sobre o qual nos fala a Bíblia.

Quando andamos com firmeza nos caminhos de Deus produzimos firmeza naqueles que estão ao nosso redor, sejam nossos filhos, cônjuges ou irmãos em Cristo. Quando vacilamos outros vacilam também e, muitas vezes, os que já vacilavam caem. Por isso é tão importante a forma como vivemos neste mundo a nossa vida com Deus.

De certa forma, nunca estamos sozinhos, nunca damos conta apenas de nós mesmos. Querendo ou não, estamos guiando outros com nossas vidas. Gostando ou não, há muitos que dependem da nossa maneira de viver. E não podemos reclamar, pois se estamos em pé pela fé foi porque fomos influenciados por homens e mulheres de Deus que marcharam confiantemente em Cristo e influenciaram nossas vidas.

Sua oração levará outros à oração. Se temor produzirá temor em outros. Sua dedicação levará mais pessoas a se dedicar a Cristo. Às vezes, de modo imperceptível, você estará influenciando vidas de uma maneira poderosa, mesmo sem pronunciar uma única palavra.

Essa verdade deve despertar temor em nosso coração. Não queremos ser responsáveis pela queda de ninguém. Queremos que nossa vida erga outras vidas, guie outros passos. Queremos ser inspiração e influência santa na vida de todos, mesmo daqueles que hoje tropeçam.

Você não chegará na glória sozinho. Será seguido por pessoas que viram a firmeza e a constância de seus passos e acompanharão você até o fim da jornada.


 Se Você Ama a Jesus

Por Eguinaldo Hélio de Souza

“Simão, filho de João, você me ama?” João 20.16

O Jesus ressuscitado está diante de Pedro. O tempo é curto para dizer o que precisa ser dito. Suas palavras se revestem de uma urgência santa. Sua obra foi consumada e agora a maior necessidade era de que sua mensagem pudesse chegar a cada canto da terra, a cada povo, a cada pessoa.

Para isso Ele precisa de quem continuem seu trabalho. Então, o Senhor olha para Pedro e pergunta: “Pedro, tu me amas”?

Jesus não está preocupado em primeiro lugar com a formação de Pedro. Ele sabe que tinha diante de si um homem que foi classificado como “comum e sem instrução” (Atos 4.13). O que Ele precisava saber era se Pedro o amava, pois quem ama é capaz de realizar muito mais do que quem simplesmente sabe. O quanto amamos Jesus é mais importante do aquilo que sabemos sobre qualquer assunto. O amor a Ele sempre nos levará a aprender mais DELE.

“Pedro, tu me amas?”. Jesus também não estava preocupado com os defeitos de Pedro. Ele sabia que tinha diante de si um homem impulsivo, instável, muitas vezes inconsequente. Isso não importava. Se aquele homem o amasse, superaria a si mesmo para serví-Lo e faria Sua vontade. Não é perfeição que Ele busca em nós, pois Ele sabe muito bem que isso nós não temos. Ele busca em nós um coração que o ame de verdade. Porque então, se o amarmos, superaremos a nós mesmos por causa do nosso amor por ELE.

Havia poucos dias que Pedro disse que não O conhecia. Isso também não importava. “Pedro, tu me amas?”. Se Pedro o amasse, até mesmo seus erros futuros não o impediriam de se aproximar do Senhor e restabelecer sua comunhão com Ele. Quem o ama, jamais será vencido por suas falhas, mas se levantará delas em direção à Sua graça e ao Seu amor.

Jesus só quer saber se você o ama. Ele não está preocupado se você tem recursos, se você tem defeitos, se você errou. Não são seus conhecimentos e diplomas que determinarão seus frutos. Se você O ama, tudo será vencido neste amor, e, sua vida, como a de Pedro, será para a glória DELE. Isso é o que importa.


 Não Há Nada Maior do Que Jesus em Nossas Vidas

Por Eguinaldo Hélio de Souza

Portanto, ninguém se glorie nos homens; porque tudo é vosso: seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, seja o presente, seja o futuro, tudo é vosso, e vós, de Cristo, e Cristo, de Deus. 1 Coríntios 3.21-23

Jesus não é somente maior do que todos os bens que possuímos. Já sabemos que Ele é muito mais importante do que nossa casa, nosso carro, nosso dinheiro, nosso negócio. Essas são coisas passageiras, temporárias, imediatas e fugazes que em breve não estarão mais em nossa posse. É óbvio que Ele está muito acima e muito além de tudo isso.

No entanto, tê-Lo em nossa vida é muito mais do que qualquer conquista nossa, mesmo as conquistas espirituais. Nosso ministério é importante e devemos valorizá-lo por amor a Jesus. Mas esse mesmo ministério não é de modo algum maior do que o próprio Jesus.

Dentro do Reino de Deus, no contexto da Igreja, alcançamos muitas vezes posição, prestígio, honra, respeito. Todas essas coisas têm o seu valor e de modo algum precisam ser desprezadas por si mesmas. Desprestígio, desonra e desrespeito nunca foram valorizados na Bíblia. O que vem como bênção e graça de Deus é sempre precioso.

No entanto, nada disso pode substituir o fato de Jesus estar em nós. Nenhum bem, honra ou prestígio pode tomar o lugar Dele. Tudo isso pode ser perdido por amor a Ele e então não estaríamos perdendo coisa alguma. As bênçãos jamais serão maiores que o Abençoador, nem as vitórias maiores que o Vencedor.

“Uma masmorra com Cristo é um trono, e um trono sem Cristo é um inferno”, disse Lutero.

Sem Ele toda honra torna-se desonra e por Ele todo desprezo é honra. Sem Ele todos os ganhos se tornam perda e toda perda, se for por Ele, é uma conquista. É melhor ser aceito do que ser desprezado, mas ser desprezado por causa Dele significa aceitação eterna superior a toda aceitação humana.

É fácil perder a Pessoa quando nos deixamos envolver por vitórias relativas que logo passam. Nenhum triunfo é maior do a Presença Eterna do Filho em nós. Possuir o Possuidor de todas as coisas é insuperável. Ser possuído por Ele é inexplicável.


 As Desculpas Não Nos Salvarão

Por Eguinaldo Hélio de Souza

“O senhor respondeu: ‘Servo mau e negligente! Você sabia que eu colho onde não plantei e junto onde não semeei? Então você devia ter confiado o meu dinheiro aos banqueiros, para que, quando eu voltasse, o recebesse de volta com juros. Mateus 25.24-27

Muitas vezes pensamos que as desculpas que criamos para não fazer o que deveríamos ter feito são suficientes para justificar nossa desobediência diante de Deus. Acreditamos que Deus é obrigado a aceitar nossas justificações, mesmo que elas não tenham qualquer fundamento. Não é assim.

Quantas pessoas que conhecem muito bem as verdades fundamentais da fé cristã apresentam uma série de motivos pelos quais não estão servindo a Deus e praticando aquilo que sabem que devem praticar. Elas têm na ponta da língua uma “razão” para sua recusa em se submeter a Deus. Apontam inúmeras pessoas e acontecimentos que explicariam o porquê de sua rebeldia. Usam um caminhão de pretextos para justificar-se diante de Deus e dos homens. Isto, todavia, não funciona agora e não funcionará no julgamento daquele grande dia.

Deus nos chama para a obediência a Ele. Sua vontade é soberana, seu querer determinante. Ele é o Senhor absoluto de tudo e de todos, aceitem ou não, reconheçam ou não. Sua compreensão, seu amor e sua misericórdia não anulam o fato de que se Ele nos ordenou algo nos compete apenas obedecer.

Podemos até tentar e não conseguir. Podemos falhar em nosso trabalho para Ele e não atingir a meta estabelecida. Nossas limitações não lhe são desconhecidas. Errar o alvo não é a mesma coisa de se recusar a atirar a flecha. Ele pode perdoar nossas falhas na caminhada, mas não pode aceitar nossa recusa em caminhar. Nenhuma desculpa tornará nossa desobediência aceitável.

Pessoas com muito mais dificuldades e obstáculos que nós têm superado tudo para cumprir a vontade de Deus para suas vidas. Elas têm pago um alto preço para obedecer porque sabem que Aquele que ordenou é digno de nossos maiores esforços.

É hora de deixar nossas desculpas de lado, levantar e andar, e fazer a vontade Daquele que é digno de nossa total obediência.


 Planejando na Crise

Por Eguinaldo Hélio de Souza

Sempre existem aquelas frases e expressões que nos marcaram e as carregaremos no coração por toda a vida. Elas nos trazem uma nova perspectiva e tornam-se lembradas em certos momentos, orientando nossas ações e conseqüentemente determinando nosso amanhã.

“Na crise, planeje, porque ela vai passar”

Na maioria das vezes somos como os apóstolos: achamos que cada tempestade é o fim. “Mestre, vamos morrer” disseram eles naquela ocasião (Lucas 8.24). Quando as nuvens estão escuras, geralmente perdemos a perspectiva e nos recusamos a levantar a cabeça para ver o amanhã. Deixamos que dores e angústias passageiras afoguem nossa esperança.

Não faça isso! Essa tempestade vai passar como as outras também passaram. Essa ferida vai sarar, vai cicatrizar. Por mais escura que seja a noite, o sol jamais deixou de brilhar pela manhã.

Não deixe para planejar somente depois que a chuva passar e a noite findar. Por mais difícil que seja esse momento no qual você está vivendo ele vai chegar ao fim. Esteja preparado para o amanhã! Não permita que as
lágrimas do agora o impeçam de enxergar as realizações do depois.

Todavia, lembro-me também do que pode me dar esperança: Graças ao grande amor do SENHOR é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis. Renovam-se cada manhã; grande é a sua fidelidade! Digo a mim mesmo: A minha porção é o SENHOR; portanto, nele porei a minha esperança. O SENHOR é bom para com aqueles cuja esperança está nele, para com aqueles que o buscam; (Lamentações 3.21-25)

Quando Judá foi invadido pelos exércitos babilônicos e Jeremias se encontrava no calabouço, Deus mandou que ele comprasse um terreno. Por quê? Porque aquele momento de crise chegaria ao fim e o profeta não deveria deixar de olhar à frente. O futuro chegaria e seria diferente.

Se você está no centro de uma crise, continue planejando. E quando ela acabar esteja pronto para agir.

Em Deus você terá um amanhã. E não somente um amanhã. Você terá um depois de amanhã. Aliás, terá muitos “depois de amanhã”. “Na crise, planeje”.


 Aproveite Sua Chance

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus. Portanto, não sejam insensatos, mas procurem compreender qual é a vontade do Senhor. (Efésios 5.15 – 17)

 

Não importa o que digam ou quantas páginas sejam escritas contrariando esta verdade – nós só temos uma vida. E é bem curta. Não somos rascunhos ou protótipos. Somos, cada um de nós, indivíduos únicos criados à imagem de Deus e para sua glória. Recebemos como dádiva, um tempo indeterminado, dentro do qual nos cabe cumprir a vontade Dele, correr a carreira proposta (Hebreus 12.1). Não haverá uma segunda chance de sermos quem devemos ser ou de fazermos o que devemos fazer. A hora é agora, o momento é este, nossa chance está aqui.

Por isso precisamos levar Deus a sério. Nosso compromisso com Ele tem que ser sólido e permanente. Não pode ser marcado por avanços e retrocessos, por idas e vindas com todo tipo de inconstâncias. Nenhuma aliança se firma assim. Nenhuma noiva ficaria feliz com esta situação. Nem Deus.

Da mesma forma, não sejamos inconstantes em Seu serviço. Não importa o tamanho de nosso ministério. Não importa sequer a visibilidade do nosso trabalho no Senhor. O que importa é concretizá-lo da melhor forma.

Não podemos caminhar com Deus somente sob circunstâncias favoráveis ou conforme a flutuação de nossos sentimentos. Assim como a base do casamento é mais o compromisso do que os sentimentos, o fundamento de nossa relação com Deus é a aliança que temos com Ele. Não as condições emocionais de nossa alma.

Precisamos caminhar nesta terra com um olhar na eternidade porque lá  se revelará nossa real atitude neste mundo. É para o amanhã que nossa vida flui, assim como correm os rios para o mar. Chegará aquele dia e nós precisamos ter certeza de que não desperdiçamos aqui as chances que recebemos. Precisamos ter certeza, que dentro de nossas limitações, vivemos e realizamos os propósitos do Senhor com a graça Dele.

O Senhor tem nos dado uma vida, um tempo e muitas oportunidades. E queremos usar isto para a glória Dele.

 


 Apesar de Nós

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Pecamos como os nossos antepassados; fizemos o mal e fomos rebeldes. No Egito, os nossos antepassados não se lembraram das muitas manifestações do teu amor leal e rebelaram-se junto ao mar, o mar Vermelho. Contudo, ele os salvou por causa do seu nome, para manifestar o seu poder. (Êxodo 13.17, 18)

 

Se há algo que aprendemos nesta vida é que Deus cumprirá seus propósitos em nossas vidas, não por nossa causa, mas apesar de nós. Mesmo que as Escrituras sempre apontem os valores e as virtudes dos grandes servos de Deus, elas não deixam de apresentar seus defeitos e seus fracassos. O povo de Israel, como um todo, é a maior prova disso. Nós mesmos, ao lermos sua teimosia e dureza de coração ficamos irados com eles, sem perceber que a história do povo de Israel e de seus grandes homens não é muito diferente da nossa. Em vários momentos de nossa vida nossas falhas se tornam evidentes. Contudo, o agir de Deus em nós e através de nós também se torna evidente.

A verdade é que esse fato nos humilha. Gostaríamos de ter mérito em nossas vitórias e, contudo, sabemos que se não fosse a misericórdia do Senhor nada de bom haveria em nossas vidas. Falhamos como pais, falhamos como cônjuges, falhamos com cristãos. E apesar disso vemos o Senhor responder nossas orações, temos sua bênção sobre nossa família, temos seu amor manifestado. Não merecemos, mas temos. Porque o Senhor é bom.

Por outro lado, isso nos dá esperança. Não depende de nós. Quando nos sondamos, ficamos frustrados com tantas limitações, tantas falhas passadas e presentes, tantas expectativas não realizadas. Então nos lembramos que apesar disso Ele nos trouxe até aqui e demonstrou sua graça. Não éramos melhores do que agora e mesmo assim ele nos amou. E nos deu o que não merecíamos. Então eu sei que Ele fará muito mais, apesar de mim.

Se por um lado me sinto humilhado ao perceber que só sua graça me sustenta e não algo em mim, por outro lado me regozijo porque sua graça me basta e Ele me fará triunfar, apesar de mim.

 


 Algo Que Não Podemos Perder

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Todo cristão deve crescer na graça e no conhecimento do Senhor Jesus Cristo (2 Pd 3.18). É nosso dever desenvolver nossos dons e talentos, cumprir plenamente nosso ministério, amadurecer como pessoas e como servos de Deus. Jamais devemos ficar estagnados no tempo.

Ler, estudar, ampliar nossa visão, adquirir sempre conhecimentos novos e necessários para nosso trabalho no Senhor e mesmo para nossa vida. Não há nada de errado em aumentar nosso entendimento em todas as coisas, adquirir saber teológico, e se a vontade de Deus assim o quer, ensinar. Crescer faz parte do chamado de Deus para nossa vida.

Todavia, há algo que jamais devemos perder – nossa simplicidade em Cristo. Diante de Deus seremos sempre aprendizes, sempre discípulos ávidos por aprender mais, por avançar mais, não importa o quanto já tenhamos caminhado. Independente da grandeza que alguém ache em nós, somos sempre pequenos diante Dele.

O ensinador, o mestre, o teólogo. Aquele que já leu a Bíblia dezenas de vezes e tem decorado inúmeras passagens das Escrituras, jamais pode esquecer que nossa comunhão é com o Pai e com o Filho e não pode ser medido por conquistas intelectuais. Esta fundada em nosso amor e submissão a Eles.

Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência, de que, com simplicidade e sinceridade de Deus, não com sabedoria carnal, mas na graça de Deus, temos vivido no mundo…, escreveu o apóstolo Paulo (2 Co 1.12). Ele, que havia recebido excelentes revelações da parte de Deus, vivia neste mundo com simplicidade e sinceridade de Deus.

Também por isso ele advertiu aos irmãos em Corinto: Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos e se apartem da  simplicidade que há em Cristo. (2 Co 11.3). Uma devoção simples e pura a Cristo. Eis o que jamais devemos perder.

A loucura de Deus é infinitamente maior do que toda a nossa sabedoria. A fraqueza de Deus é imensamente maior do que nossa força. O mínimo de Deus vai muito além do nosso máximo. Nosso orgulho é tolice. Qualquer coisa que gere em nós um sentimento de independência em relação a Ele deve ser rejeitada. Nada é o barro sem o Oleiro, nada é o ramo sem a árvore.

Aos pés Dele um apóstolo Paulo não é maior do que a irmã de Lázaro, mestre e discípulo se confundem. Somos simplesmente crianças clamando “Abba, pai”.