Muito Além do Dízimo

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Dizimar, ou seja, consagrar ao Senhor dez por cento de nossas rendas é um ato simbólico, cujo significado vai muito além do valor doado. É uma forma de Deus reconhecer o senhorio de Deus sobre nós, sobre nossas posses, sobre o fruto de nosso trabalho, sobre a obra de nossas mãos. É uma relação que envolve muito mais do que dinheiro e bens. Envolve nossas convicções e decisões mediante o conhecimento de quem Deus é e do que Ele faz.

Nós damos ao Senhor não apenas porque Ele nos deu primeiro. Nós damos ao Senhor porque nós somos Dele. Ele não é dono de apenas uma parte de nossas rendas. É dono de todas as nossas posses, de todas as nossas escolhas, dono de todo nosso ser. Nada do que temos ou somos está fora de seu domínio.

Do Senhor é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam (Salmo 24.1). Tudo é Dele. Desde a maior estrela até o menor grão de areia – tudo foi criado por Ele e para Ele. Você que entrega seu dízimo ao Senhor pertence a Ele, bem como aquele que não entrega. Todavia, você faz parte dos que reconhecem a Soberania de Deus. Você é alguém que sabe que sua vida e todos os seus caminhos estão nas mãos do Altíssimo.

O seu dízimo é a prova de sua submissão ao Senhor, prova do reconhecimento de que Deus é o seu Sustentador e Provedor, algo muito além de um mero valor financeiro.

Há muitas empresas que por diversas razões contribuem com causas sociais. Isso é louvável. No entanto, o coração que oferece a Deus parte de suas conquistas, reconhecendo a Ele como a fonte de tudo, está realizando um ato de adoração e rendição.

Em um mundo onde se nega a existência a Deus e se procura reter mais do que é devido, alguém que oferta a Ele de livre e espontânea vontade está prestando um verdadeiro culto. Em algum momento esse simples ato simbólico de dizimar irá se revelar um perfeito ato de adoração.

E outra vez vereis a diferença entre o justo e o ímpio, entre o que serve a Deus e o que não serve a Deus. (Malaquias 3.18) 


 Muito Além das Lágrimas

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Então, Davi e o povo que se achava com ele alçaram a sua voz e choraram, até que neles não houve mais força para chorar. (…) E Davi muito se angustiou, porque o povo falava de apedrejá-lo, porque o ânimo de todo o povo estava em amargura (…); todavia, Davi se fortaleceu no SENHOR, seu Deus. (1 Sm 30.4, 6)

 

Não há nada errado em chorar. Não chorar é negar nossa dor e nossa humanidade. Reter as lágrimas diante das calamidades e da aflição é fingir com o corpo e com a alma que a realidade não nos atinge quando na verdade ela nos atinge e muito.

Necessitamos sim, chorar aos pés do Senhor, derramar lágrimas diante Dele. E não apenas lágrimas. Nossa ansiedade, nossa dor e até nossa alma precisam ser colocadas diante de Deus. Confiai nele, ó povo, em todos os tempos; derramai perante Ele o vosso coração; Deus é o nosso refúgio. (Salmo 62.8). O choro aos pés de Cristo é o choro da esperança. Longe Dele, é o choro do desespero.

Entretanto, precisamos ir além do chorar, precisamos nos elevar acima da dor. É preciso ter consciência de que o choro é apenas uma etapa, aliás uma pequena etapa do caminho da vitória. O povo levantou-se para apedrejar a Davi, enquanto Davi se levantou e se fortaleceu no Senhor. Ele se levantou para buscar a Sua Palavra e sua direção. Davi também chorou, mas parou de chorar para tomar posição e fazer o que era necessário.

Os problemas são reais, a dor é real, os sentimentos são reais, mas essa não é a única realidade. Deus também é real. Sua presença é real, Sua palavra é real, Sua ação é real, Sua ajuda é real. Temos que nos levantar de nossas lágrimas, de nossa dor, de nossa angústia, para buscar a Deus, buscar Sua Palavra, Sua ajuda, Seu poder.

Os que semeiam em lágrimas ceifarão com alegria porque levam a preciosa semente andando e chorando. Eles não param. (Salmo 126.5, 6)

A dor, o choro e a luta cessarão um dia. Deus enxugará de nossos olhos toda lágrima (Apocalipse 21.4). Enquanto isso não acontecer, levante as mãos cansadas, os joelhos trêmulos e faça um caminho firme e seguro para os seus passos (Hebreus 12.12, 13). Vá além das lágrimas.


 Minha Rocha

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

 

Senhor, Tu és a minha Rocha, e sobre ti meus pés estão firmes. Enquanto tudo ao meu lado oscila e muda, em Ti acho firmeza.

Tudo ao meu redor se agita e treme, tudo muda o tempo todo, tudo vacila. Em Ti tudo é eterno.

Ao meu redor nada se fixa, nada sustenta. Pessoas mudam, situações se alteram, eu mesmo estou constantemente balançando como plantas ao vento. Nada pode me dar solidez.

Pessoas que me amavam, parecem não me amar mais. Antes tão próximas e amigas, agora frias e distantes. Um dia, foram meu apoio e hoje não são mais. Passaram com folhas ao vento.

Há momento em que tudo parece tremer, em que sinto que vou afundar. A segurança me foge, a incerteza me invade, não sei o que fazer e para onde ir. Todas as certezas tornaram-se incertezas. Olho para mim e nada vejo.

Até meu corpo antes tão forte e tão jovem, hoje é só cansaço e fadiga.

Tantas coisas que lutei para conseguir, acreditando que me dariam paz e segurança, são agora aos meus olhos como palha seca. Todas perderam seu brilho e seu valor, nenhuma delas me deu paz.

Verdadeiramente, tudo o que é sólido desmancha no ar. Tu, porém, ó Invisível, és o Eterno, a Rocha dos Séculos que existe antes de tudo e subsistirá após tudo. Sobre a tua mão repousa minha alma, sobre o teu amor descansa o meu coração e sob o teu olhar caminham os meus passos. Tudo passa, tudo treme, tudo vacila. Tu, porém, és a MINHA ROCHA, até sobre as águas posso caminhar contigo como em terra firme.

No princípio firmaste os fundamentos da terra, e os céus são obras das tuas mãos. Eles perecerão, mas tu permanecerás; envelhecerão como vestimentas. Como roupas tu os trocarás e serão jogados fora.  Mas tu permaneces o mesmo e os teus dias jamais terão fim. Os filhos dos teus servos terão uma habitação; os seus descendentes serão estabelecidos na tua presença. (Salmo 102.25-28)

O SENHOR é a minha Rocha, a minha Fortaleza e o meu Libertador; o meu Deus é o meu Rochedo, em quem me refugio. (Salmo 18.2)


 Migalhas

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

 

Há pessoas que tem escolhido viver apenas de migalhas da bondade divina. Ao invés de aceitarem tudo o que Deus tem para elas, geralmente vão à igreja ou buscam ao Senhor no intuito de obter uma cura, resolver um problema, sentir alguma paz. Chegam a Deus como aquele mendigo assentado à porta do Templo. Querem apenas um pouco para continuar vivendo vidas vazias e carentes. Deus é um simples resolvedor de problemas, uma espécie de pronto-socorro espiritual para atender suas emergências. Pensam que conhecem Deus quando na verdade não têm ideia real de quem Ele é.

Quem busca migalhas de Deus geralmente só tem dado migalhas para Deus. Migalhas de seu tempo, de sua atenção, de seu coração. Não querem um envolvimento maior, um comprometimento maior. Basta uma visita ocasional aos cultos, um programa de TV de vez em quando, um pouco de oração quando as coisas não vão bem. Talvez uma leitura rápida e superficial da Bíblia quando sobrar tempo.

São pessoas que como o cego Bartimeu vivem assentados à beira do caminho, sem jamais andar por ele. Já pensaram em se entregar de fato, mas adiaram para algum futuro incerto tal decisão. Isso está errado.

Deus quer tudo de todos porque Ele deu tudo para todos. Aquele que nem seu Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como não nos dará também com Ele todas as coisas? (Romanos 8.32). Ele quer entrega total, rendição total. E o resultado é o acesso ao trono de sua graça, o acesso à sua presença, o direito à eternidade com Ele.

Muitos coxeiam entre dois pensamentos. Querem um pouco do que é de Deus, dão um pouco para Deus. Aproximam-se Dele com ressalvas, com medidas, com hesitação. Não querem abandonar o que está entre elas e Deus.

Dessa forma, vivem na fronteira entre o mundo e o reino de Deus. Tornam-se visitantes da casa de Deus ao invés de seus filhos amados. Vivem das migalhas divinas, sem certeza de sua salvação. Não precisa continuar assim.

Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa, cearei com ele e ele comigo (Apoc 3.20)

O Senhor chama você para uma comunhão viva, plena e real com Ele.

 


 Mais Lições do Espinho na Carne

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

…foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de não me exaltar. Acerca do qual três vezes orei ao Senhor, para que se desviasse de mim…  2 Coríntios 12.7, 8

 

São muitas e profundas as lições que essa experiência do apóstolo traz para nossas vidas. Paciência, perseverança, graça, aceitação das circunstâncias, etc. Apesar do mistério que envolve o significado exato desse espinho é um momento abençoador para nós.

Há ainda ensinos que podem ser tirados desse episódio e que edificam nossa vida de oração. Eis alguns.

Ele não aceitou passivamente a aflição em sua vida. Ele acreditava que aquele espinho não deveria estar ali e que poderia ser removido através da oração. Não aceite gratuitamente, passivamente, aflições sobre a sua vida. Deus tem poder para removê-las. Ore sempre.

Ele não tentou resolver por si mesmo. Nós não estamos mais sozinhos em nossas batalhas. Há um Deus conosco, o Deus que nos ama e pode todas as coisas. Vamos lançar a Ele nossas ansiedades porque Ele tem cuidado de nós (1 Pedro 5.7).

Ele insistiu em oração. Três vezes orou e teria orado muitas vezes mais se uma resposta não tivesse sido dada. Nem sempre oramos até que a resposta chegue, nem sempre perseveramos em oração como devemos perseverar. Orar e continuar orando tem sido o segredo dos vitoriosos.

Orar era um hábito dele. Oração não pode ser uma saída de emergência. Precisa ser a janela da nossa vida através da qual nos unimos continuamente com Deus (Daniel 6.10). Ele orou naquela ocasião porque costumava orar em todas as ocasiões.

Ele tinha intimidade a ponto de ouvir o Senhor. Não temos um Deus mudo. Mas às vezes Ele tem servos surdos, incapazes de ouvir sua voz. É necessário que nosso relacionamento com o Senhor se torne tão estreito que rapidamente possamos reconhecer o seu falar.

Alguém já disse que conhecemos uma pessoa pelas suas atitudes diante da adversidade. E essa adversidade na vida do apóstolo Paulo nos revelou muito a respeito dele. Que os espinhos de nossa vida revelem coisas boas sobre que nós somos.


 Mais do Que Belezas

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

De fato, para eles você não é nada mais que um cantor que entoa cânticos de amor com uma bela voz e que sabe tocar um instrumento, pois eles ouvem as suas palavras, mas não as põem em prática. (Ezequiel 33.32)

 

Certamente que muitos dos hinos que ouvimos são de uma beleza imensa. Poesia e harmonia se juntam para falar aos corações de um modo especial. Da mesma forma, muitas mensagens que escutamos parecem ter sido preparadas somente para nós. A graça e a eloqüência se combinam para tocar tão fundo em nossa alma como nenhum instrumento humano poderia tocar.

Entretanto, corremos o risco de não enxergar a realidade de Deus em meio a tais belezas. Sim, o Evangelho é belo, mas é muito mais do que beleza. Sim, ele encanta nossa alma e, no entanto, nele existe muito mais do que encanto.

No Evangelho não temos apenas beleza, mas também verdade, a verdade de Deus. Nele conhecemos quem Deus é, que é o homem sem Ele, quem nós somos Nele, qual seu plano para nós e para o mundo. Na Sua luz nós vemos a luz (Salmos 36.9).

Além da beleza e da verdade, o Evangelho também é poder… é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê (Romanos 1.16). Nenhum poder humano pode fazer o homem amar a Deus e obedecê-lo. Só o Evangelho pode. Palavras e músicas não podem mudar ninguém. Mas o poder de Deus pode mudar você.

Por fim, há um chamado em meio a tudo isso. Um chamado para a entrega, um chamado para a confiança, um chamado para a obediência. Não podemos deixar o culto como quem sai de sua sala de estar. Não podemos retornar pelo mesmo caminho, uma vez tendo contemplado o novo. Temos de ser um pouco mais diferentes porque recebemos dos céus.

Coisas boas e belas descem do trono do Pai ao mais profundo de nosso ser. O que há de belo e bom neste mundo é usado para traduzir ao nosso espírito as indizíveis maravilhas dos céus. Somos mergulhados em Seu esplendor e formosura, somos tomados e embebidos no óleo perfumado de sua unção. O desejo de Deus é que possamos ver a Sua face além de tudo isso.


 Aquele Que a Tudo Preenche

Por Eguinaldo Hélio de Souza

[Ele, Jesus, é] a plenitude Daquele que enche todas as coisas, em toda e qualquer circunstância. (Efésios 1.23)

Ó Senhor, que a todas as coisas preenche, vem preencher toda minha vida, todo meu tempo, todo meu ser, toda minha existência, tudo enfim. Fora de Ti tudo é vazio e caos, tudo é silêncio e escuridão. Tudo é muito frio e sem vida.

Que todo meu tempo tenha a marca da tua presença, desde meu levantar até o meu deitar seja ele por Ti preenchido. Que até em meu dormir, Tu estejas ali. Sejam tuas minhas manhãs, minhas tardes e minhas noites, meus dias e anos, minhas semanas, e meses, e horas.

Que em cada coisa que eu fizer, em cada ato meu, Tu estejas também. Que nada do que eu faça, seja feito sem Ti. Que nenhuma realização minha seja feita em minha força. Seja Tua sabedoria e Tua força a revestir cada agir meu. Que tudo o que eu produzir, seja produzido em por Ti, para Ti e em Ti.

Que Tu, que é todo amor, seja meu elo a todas as pessoas. Que este amor que é a Tua essência, me ligue a tudo e a todos com cordas irrompíveis, com cabos inquebráveis. Que em cada relacionamento meu Tu lá estejas, de modo permanente inconfundível.

Que em todo o meu caminhar, que em todo o meu existir, não aja espaço para o vazio, para a escuridão, para o mal e para a morte. Que cada vez mais seja banido de minha vida tudo aquilo que a Ti não pertence. Seja rindo ou chorando, caindo ou levantando, perdendo ou ganhando, em Ti eu viva, em Ti me mova e em Ti exista.

Pois em Ti tudo se origina, por Ti tudo é sustentado e a Ti tudo se destina. Não permita então meu Deus, que eu viva neste mundo, que caminhe minha história, sozinho e longe da Fonte de todas as coisas.

Vem Senhor, invade tudo que há em mim. Todos os espaços, todos os tempos, todos os elos, todas os planos, todas as realizações. Não deixe nada fora da Tua sábia e eficaz soberania.

Enfim, ó meu Deus, sejas para mim tudo em todos, sejas para mim tudo em tudo.

 


 Nada Sem o Senhor

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Se não for o SENHOR o construtor da casa, será inútil trabalhar na construção. Se não é o SENHOR que vigia a cidade, será inútil a sentinela montar guarda. Salmo 127.1)

Esse versículo traz consigo a sabedoria da vida. Ele não ensina que não devemos trabalhar ou que não devemos vigiar. Ele ensina que nada disso tem significado ou êxito verdadeiro, a não ser que o Senhor esteja conosco. Se Deus não for o Construtor através de nossas vidas e o Vigia através de nossos olhos, tudo será vão. Tudo Dele deriva, tudo Dele depende, tudo a Ele se destina.

Porque Dele, por Ele e para Ele são todas as coisas. Glória, pois, a Ele, eternamente. (Romanos 11.36).

O pecado no coração humano quer leva-lo para longe da dependência divina, fazê-lo achar que o homem é o centro do universo. Protágoras, um pensador grego, disse que “o homem é a medida de todas as coisas”. Não é. Deus é a medida de todas as coisas, pois até mesmo a medidas dos homens foi Ele quem estabeleceu.

É verdade que ser humano realizou coisas grandiosas. No entanto, de alguma forma, direta ou indiretamente, um Deus Criador e Sustentador o permitiu, reconheça ou não, goste ou não. É verdade que o homem tem projetado invenções e dispositivos para sua segurança. No entanto, muitos dos seus castelos fortes foram derrubados e saqueados apesar de toda confiança.

Se o Senhor não edificar… se o Senhor não guardar…. Essas palavras nos chamam para a dependência, para a comunhão, para olhar ao alto e reconhecer que em tudo precisamos de Sua Presença, de Sua sabedoria, de Sua mão forte. Torres de Babéis e Titanics são como castelos de cartas e barcos de papeis se assim Deus o desejar. Enquanto gritos derrubarão muros e pedras derrotarão gigantes se assim Ele o determinar.

Podemos viver confiando Nele ou em nossos esforços. Podemos reconhecer que a Ele pertence a glória por tudo ou que somos dignos de nossos prêmios. Todavia, nada mudará o fato de que “Nele vivemos, nos movemos e existimos” (Atos 17.28) e as mais simples e as mais sublimes realizações encontram Nele e só Nele suas possibilidades.

Reconhecer que precisamos Dele para realizar e para existir é o princípio da sabedoria.


 Luzes Temporárias

Por Eguinaldo Hélio de Souza

João era a lâmpada que ardia e iluminava, e vós escolhestes alegrar-vos por algum tempo com a sua luz (João 5.35).

 Ter luz sempre é bom. É fácil caminhar quando temos luz, quando o caminho à nossa frente é claro e podemos ver tudo perfeitamente. Jesus disse, aquele que anda nas trevas não sabe para onde está indo (João 12.35).

As pessoas ao nosso redor caminham procurando luz para seus passos. Algumas acabam se apoiando em luzes enganosas, acreditando em mentiras, em ideologias humanas e nocivas que lhes dão uma falsa segurança. São cegos que guiam cegos para a mesma cova na qual em algum momento cairão. Então será tarde demais. Só Jesus é a luz verdadeira que ilumina todo homem que vem ao mundo (João 1.9)

No entanto, nós que encontramos a luz de Deus corremos o risco de trocar luzes eternas por luzes temporárias. Foi isto que o povo fez com João Batista. Ele tinha uma mensagem da parte de Deus e muitos acharam que sua mensagem era tudo o que eles precisavam. Não perceberam que João Batista era uma luz temporária que os direcionava para a luz eterna e permanente. E muitos não souberam discernir a diferença entre o que era transitório e o que era permanente.

Temos inúmeras luzes temporárias ao nosso redor. São bons pregadores, bons mestres, bons livros, boas mensagens, bons irmãos em Cristo. Tudo isso é maravilhoso. Só não podemos esquecer que são apenas luzes relativas e temporárias e não podem substituir as luzes absolutas e permanentes que Deus nos deu.

Nossa primeira Luz permanente é o próprio Jesus:

Falando novamente ao povo, Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue, nunca andará em trevas, mas terá a luz da vida”. (João 8.12)

Nossa segunda Luz permanente é a Palavra de Deus:

Assim, temos ainda mais firme a palavra dos profetas, e vocês farão bem se a ela prestarem atenção, como a uma candeia que brilha em lugar escuro, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça no coração de vocês. (2 Pedro 1.19).

Pessoas e palavras humanas passam. Jesus e Sua Palavra são eternos. Nossos corações só estarão firmes quando firmados na Rocha dos Séculos.


 Levantando Após a Queda

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Apedrejaram Paulo e o arrastaram para fora da cidade, pensando que estivesse morto. Mas quando os discípulos se ajuntaram em volta de Paulo, ele se levantou e voltou à cidade. No dia seguinte, ele e Barnabé partiram para Derbe. (Atos 14.19, 20)

Sim, há ataques do inimigo sobre nossas vidas que são verdadeiramente fortes. A dor é real e o abatimento é natural. Somos humanos e apesar de nossa confiança no Senhor nós choramos, e nos entristecemos e não poucas vezes nos abatemos. Nosso sofrimento é justificado. Não se trata de excesso de sensibilidade, trata-se de um momento difícil que realmente nos põe no chão.

Ainda assim é preciso se levantar, é preciso se por de pé, é preciso prosseguir. Nossa missão não terminou, nossa carreira não está nem na metade. Os planos de Deus continuam diante de nós. Erguer-se é necessário, mesmo diante da queda justa. Não podemos ficar prostrados para sempre, não podemos desistir, não podemos simplesmente recuar.

A queda não foi o fim em nenhum sentido. Foi um mero ponto em nossa caminhada, um ponto que ficará para trás assim que decidirmos nos levantar e avançar. Deixando as coisas que para trás ficam, avanço para as que estão diante de mim (Filipenses 3.13). Mesmo que neste exato momento a dor seja grande, você verá  que à medida que avança ela ficará cada vez menor até não ser mais do que um lembrança.

Sim, você pode se levantar. Na força do Senhor você pode se levantar. A “incomparável grandeza de seu poder” está sobre nós os que cremos (Efésios 1.19). Se Palavra de Deus pode reviver ossos secos, não poderá muito mais erguer sua vida? Se o Espírito de Deus que habita em você, levantou a Jesus de entre os mortos, não poderá também colocar você de pé? (Romanos 8.11).

Ouça a voz de Deus. “E disse-me: Filho do homem, põe-te em pé, e falarei contigo” (Ezequiel 2.1). Deixe a graça Dele se apossar de você, deixe o Seu Espírito soprar sobre sua vida. “…entrou em mim o Espírito, e me pôs em pé” (Ezequiel 2.1)

O chão não é seu lugar. Seu lugar neste mundo é caminhando com Deus rumo aos seus maravilhosos propósitos.