Sobre Livros e Leituras

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Quando vieres, traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os  pergaminhos. (2 Tm 4.13)

 

Em seu último escrito o apóstolo ainda pensa em livros! Ler é uma paixão de muitos e muitos cristãos em seu amor às Escrituras tornaram-se grandes e bons leitores. Alguns são verdadeiros devoradores de livros. Esse é um hábito saudável que deveria ser cultivado ainda mais por todos aqueles que almejam uma vida espiritual vigorosa aliada ao conhecimento da Palavra. Como escreveu Henry Thoreau, os livros são o tesouro precioso do mundo e a digna herança das gerações e nações. (…) Quantos homens terão começado uma nova era em sua vida depois da leitura de um livro.[1] E se pensarmos na influência de Thoreau sobre Gandhi, então ele tinha razão.

 

Gostaria por isso de compartilhar algumas coisas sobre livros e leituras aprendidas ao longo dos anos.

 

Existe a Bíblia e os demais livros. Nenhum livro pode ocupar em nossa vida o espaço que pertence às Escrituras. Todas as verdades mais profundas, ou são dela derivadas ou estão em concordância com ela. Ela e somente ela é a Palavra de Deus, o pão, a espada, a luz, sem a qual viveremos neste mundo, famintos, desarmados e no escuro. Não basta ler acerca de Bíblia. Temos de ler a Bíblia se desejamos de fato ser alimentados, fortalecidos e guiados. Se você não tem tempo para a Palavra de Deus, então é melhor que não tenha tempo para nenhum outro livro. Quanto amo a tua lei! Nela medito o dia todo. (Sl 119.97)

 

Ler livros, mais do que ter livros. Uma grande tentação neste nosso mundo consumista e onde a publicidade nos bombardeira em todo momento e em todo lugar, é acumular livros que nunca iremos ler. Diferente de um CD ou mesmo vídeo do qual somos ouvintes passivos, o livro exige de nós esforço, atenção. Precisamos de tempo, concentração, envolvimento real e profundo com o seu conteúdo. Não compre livros que não pretende realmente ler. Os livros só terão efeito em sua vida se você de fato absorver seu conteúdo. Faça um plano de leitura anual dentro de sua capacidade e disponibilidade de leitura. Como a baliza em uma piscina, você conhecerá seus limites e guardará seu foco.

 

Conheça quem escreve. Não compre livros às cegas. Se alguém de confiança e capacidade o indicou para você, então possivelmente valerá a pena ler. Ainda assim, procure saber sobre o autor e sobre o livro. O que pensa o autor? Que outros livros escreveu ele? Qual sua história? O que ele realizou? Por trás de um livro há uma vida, com a qual vamos interagir na leitura. Devemos ser cuidadosos com quem teremos comunhão. A leitura desordenada entorpece o espírito, ao invés de alimentá-lo (Sertilange).

 

Erudição e beleza não são a mesma coisa que verdade. Escrever bem e bonito, não é o mesmo que escrever a verdade. Muitos já se desviaram das verdades bíblicas, seduzidos pelo conhecimento e pela retórica. Marx e Nietzsche foram grandes pensadores e grandes escritores, mas nem por isso são verdadeiros. O veneno também pode ser saboroso e pode ser vendido em frascos bonitos. Vivemos em meio a uma geração, de cristãos e não cristãos, que estão embriagados por uma literatura de pensadores e teólogos que está longe de ser sadia e bíblica.

 

Suas leituras em certa medida definem você. Leia o que está de acordo com o seu chamado. Embora possamos ser edificados lendo a respeito de vários assuntos, existem aqueles que se harmonizam com nosso chamado. Missionários lerão sobre missões, pastores sobre cuidado pastoral, ministros de louvor sobre música e adoração, e assim por diante. Se você já sabe sobre seu ministério, seu chamado e seus dons, pode focar melhor suas leituras. Jamais teremos tempo de ler tudo que queremos, portanto, temos de ser seletivos. Como escreveu Sertilange: Estabeleçam sua rota e não sigam na esteira do que for aparecendo pela frente.[2]

 

Livros são só livros. Ler um livro é só um passo, não é um caminho percorrido. Não podemos achar que só porque lemos a respeito de um assunto, aprendemos o assunto. Ler livros sobre oração não me torna um homem de oração. Ler livros de homilética não tornam um pregador. Nenhum livro, por melhor que seja, é um fim em si mesmo. Ele não passa de uma pequena luz.

Como escreveu A.W. Tozer: Requer um esforço determinado da mente livrar-nos do erro de fazer dos livros e dos mestres fins em si mesmos. A pior coisa que um livro pode fazer pelo cristão é deixa-lo com a impressão de que recebeu dele alguma coisa realmente boa; o melhor que pode fazer é apontar o caminho para o Bem que ele está procurando. A função de um bom livro é postar-se como um marco de sinalização encaminhando o leitor para a Verdade e a Vida.[3]

 

Não basta ler. Precisamos ler com sabedoria. Deus nos dê graça e nos faça leitores que aprenderão para sua glória.

[1] THOREAU, Henry David. A desobediência civil.

[2] SERTILANGE, A.-D. A vida intelectual. São Paulo: É Realizações, 2010, p.121

[3] TOZER, A.W. A conquista divina. São Paulo: Mundo Cristão, 1987, p.9

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *