O Crente Mínimo

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Vivemos em tempos difíceis, onde o título “evangélico” ou “crente” perdeu muito de seus valores antigos. Pessoas sem compromisso, sem constância, sem definição de si mesmas são incluídas entre os cristãos.

Mas existe um padrão mínimo para ser um cristão.

De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e, naquele dia, agregaram-se quase três mil almas. E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. Em cada alma havia temor… (Atos 2.41-43)

Receber a palavra é o primeiro passo. Não apenas ouvir a palavra, mas recebe-la, aceita-la como de Deus. O cristão entende que ela é a revelação de Deus para sua vida. À partir daí a Bíblia precisa ter presença constante em sua vida.

Um segundo fato é que um verdadeiro crente é aquele que persevera. Não somos apreciadores do Evangelho. Somos participantes. No mínimo, precisamos ter constância nas coisas de Deus. Um verdadeiro crente persevera.

Persevera na doutrina dos apóstolos. Isso significa ter uma liderança sobre si. Quem é seu líder? A quem você responde? Somos membros de um corpo. Não existem membros independentes em um organismo. Todos são interdependentes. Um crente verdadeiro, no mínimo, é capaz de identificar a autoridade sobre si.

Persevera na comunhão. Ninguém pode ser crente sozinho. “Servir a Deus em casa” é o primeiro passo para servir a Deus em lugar nenhum. É preciso conviver com outros cristãos se queremos caminhar com Deus. Perseverar na comunhão com outros cristãos é o mínimo que um crente deve fazer.

Persevera no partir do pão. Participar da Ceia do Senhor identifica um crente. O pão e o vinho são os símbolos de nossa aliança com Deus. Qualquer pessoa pode receber uma bênção de Deus ou mesmo uma promessa. Somente salvos podem viver uma vida em aliança com Deus.  Participar da Ceia do Senhor é o mínimo que um crente deve fazer.

Persevera nas orações. Quem não sabe falar com Deus não é Dele. Ele é o Pai e nós os filhos. Isso supõe relacionamento e intimidade. Ninguém vive com Deus sem falar com Deus constantemente. Perseverar na oração é o mínimo que um cristão pode fazer.

Receber a palavra, sujeitar-se à autoridade, viver em comunhão com outros cristãos, participar da Ceia do Senhor, ter uma vida de oração, são as necessidades mínimas para um cristão. Perseverar nessas coisas é o mínimo que um cristão deve fazer se quer ser reconhecido como cristão. Menos que isso é subcristianismo e não poderá satisfazer o coração de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *